Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Tem filhos e não quer prendê-los em casa durante o inverno? Não se preocupe

  • 333

PEDRO PINA

Mesmo que o clima teime em querer-nos em casa, no sofá e de manta, aqui ficam boas sugestões para fintar o estado do tempo em Lisboa e no Porto

Tem filhos e não quer prendê-los em casa durante o inverno? Não se preocupe. Não faltam iniciativas engraçadas e interessantes para os ocupar, a eles e a si. Há opções musicais, outras que incluem livros, plasticina, concertos e afins.

Quer fazer plasticina comestível com a sua prole? Sim, leu bem: plasticina para comer - e de legumes... Este sábado, às 11h, no Espaço Saúde Med, em Benfica, toda a família é bem-vinda para deitar mãos à massa e confecionar plasticina caseira, de forma divertida. Os legumes (cenoura, espinafre e beterraba) são a base, pelas cores fortes. Depois amassa-se e cozem-se algumas das criações no micro-ondas... O objetivo não é comer no final, mas fazer uma plasticina que seja não tóxica, com ingredientes comuns, que permita aos mais pequenos, que costumam levar tudo à boca, brincar sem preocupações. A família (até 4 elementos) paga 12,5€ por pessoa, com direito a muita brincadeira na ementa.

No Espaço Saúde Med, este sábado, faz-se plasticina comestível à base de legumes. Promete...

No Espaço Saúde Med, este sábado, faz-se plasticina comestível à base de legumes. Promete...

Kaley Ann Diaz

Se os seus filhos adoram música, há uma opção invulgar e interessante no Oceanário de Lisboa: "Fado Miudinho", a partir das 9h deste sábado, é um concerto que apresenta o fado aos mais novos - de bebés a crianças de 4 anos. A "Rosa Fadista" embrulha-se no xaile e canta aventuras de além-mar com ajuda da guitarra e dos peixinhos em volta, sardinhas incluídas. O ambiente do oceanário, com os seus tubarões e aquários gigantes, fazem o resto do encanto. Por 25€, um bebé e dois adultos têm direito ao concerto e à visita ao Oceanário.

No Oceanário há "Fado Miudinho", uma introdução do fado aos mais pequenos, no mais belo cenário aquático

No Oceanário há "Fado Miudinho", uma introdução do fado aos mais pequenos, no mais belo cenário aquático

PEDRO PINA

Ainda em matéria de música, há outra opção este sábado, desta vez à tarde. A partir das 15h, o Cinema S. Jorge, em Lisboa, abre portas aos meninos com 3 anos e mais para o Festival Play, uma orquestra especial. É especial porque todos os instrumentos são reciclados e feitos a partir de lixo - e porque os membros da banda, oriunda do Paraguai, vivem ao lado de um dos maiores aterros da América do Sul. Uma lição de vida e uma experiência agradável. Há uma série de ateliers de entrada livre para pais e crianças (programa em http://www.playfest.pt/programa/).

O Festival Play tem filmes e concertos para meninos a partir dos 3 anos

O Festival Play tem filmes e concertos para meninos a partir dos 3 anos

E se os seus petizes são doidos por livros e histórias, a Hora do Conto é a atividade certa para si. A entrada, em regra, é livre e garante entretenimento por umas horas. Este sábado, a partir das 11h, na Biblioteca de S. Lázaro, em Lisboa, é tempo de contar "O Caso do Saco", para meninos e meninas dos 3 aos 9 anos. Através de versos, as crianças desconstroem preconceitos e estereótipos que normalmente lhes são servidos de bandeja. Nesta história, o lobo não é mau, e está muito preocupado em reciclar o lixo que suja o bosque. É esta valiosa lição que ele vai partilhar com os outros animais.

Noutra biblioteca perto de si, a de Belém, há outra história para escolher - ou, quem sabe, acumular. A partir das 16h30, para crianças com 5 anos ou mais, há Hora do Conto com Oficina Plástica. "Ui, que frio!", promete contar-se. "Puxem da manta e aninhem-se, porque o vento vai soprar com histórias de aconchegar", garantem os animadores. Apesar de ser gratuita, a atividade necessita de inscrição prévia (tel: 21 817 25 80).

"Comer e beber... ó terrim tim tim"

Se gosta de aproveitar o fim de semana para descontrair e comer coisas boas, deixamos-lhe algumas sugestões. Este sábado e domingo, há "workshops Time Out", no Mercado da Ribeira, em Lisboa. Sábado é um momento para crescidos, apreciadores de vinho: às 20h, há jantar vínico para aprender a harmonizar vinhos e comida. A seleção dos néctares está a cargo da Garrafeira de Campo de Ourique, que vai apresentar vários produtores e um menu de exceção. Já no domingo de manhã, das 11h às 13h, o chef Joaquim Sousa, do hotel The Oitavos, ensina a confecionar sobremesas simples e deliciosas para surpreender e impressionar os seus próximos. Por 35€, pode também oferecer um doce 'voucher' da Academia Time Out.

O Mercado da Ribeira propõe workshops para aprender a conjugar vinhos ou fazer sobremesas

O Mercado da Ribeira propõe workshops para aprender a conjugar vinhos ou fazer sobremesas

joao lima

No Rossio, em Lisboa, o provérbio está em vias de ser posto em prática: o Bastardo, na R. da Bestega, promete meter o Rossio e o mundo lá dentro. No Internacional Design Hotel, este local conta com vários espaços: restaurante, bar, jardim interior, o que significa que tanto lá pode ir lanchar como ficar para jantar ou entrar só para tomar um copo (ou fazer o pleno). Há inputs de várias nacionalidades: o chef francês Aimé Barroyer, que vive em Portugal há 10 anos e já liderou a cozinha do "Pestana Palace", é chef ocasional; Luís Rodrigues é o chef residente; e Alexandre Martins é o " Aprendiz de Feiticeiro". Essa mistura de culturas reflete-se na ementa, que inclui pratos franceses, ceviche, bife tártaro, "fish and chips", escabeche de Coelho, entrada de queijo e vinho do Porto, ou risotto de abóbora com goji, azeite de trufa e queijo de S. Miguel.

N'O Bastardo, ao Rossio, a mescla de culturas encontra-se na ementa. Há vários espaços, para jantar, beber um copo ou tomar um chá

N'O Bastardo, ao Rossio, a mescla de culturas encontra-se na ementa. Há vários espaços, para jantar, beber um copo ou tomar um chá

Mario Joao

Entretanto, a Norte...

Se quer passar pelo fim de semana a praticar desporto, este domingo às 10h há corrida "Porto Antistress". A participação é inteiramente grátis e nem requer pré-inscrição - é só mesmo aparecer no Parque Oriental da Cidade e começar a correr. Todos os meses, duas vezes por mês, esta iniciativa acontece promovida pela RunPorto, com o objetivo de combater aqueles que muitos consideram a doença do século XXI: o stress. Cultivar bons hábitos de vida e fazer desporto são a finalidade desejada. A corrida é monitorizada por profissionais de educação física e conta com acompanhamento de técnicos de saúde.

A corrida "Porto Antistress" visa combater o mal do século XXI indicado no nome do próprio evento. É gratuita e dispensa inscrição

A corrida "Porto Antistress" visa combater o mal do século XXI indicado no nome do próprio evento. É gratuita e dispensa inscrição

Se é fã de feiras e gosta de andar na rua a ver como param as modas, no domingo também pode dar uma saltada à R. das Galerias de Paris, onde há "Feira de Artesanato: A Família Desce à Rua", das 10h às 19h. Aqui encontra de tudo um pouco, de carteiras e roupa feita à mão a arte urbana.

Já se é daqueles (ou daquelas) que adora flores, o Jardim Botânico do Porto tem um 'workshop' interessante para lhe propor: "Conhecer Orquídeas", uma flor tropical, frágil e de muitos segredos. A entrada é gratuita e neste fim de semana há uma exposição de associados e venda destas plantas pelo mestre jardineiro.

No Jardim Botânico do Porto ocorre um workshop gratuito que ensina os segredos das orquídeas

No Jardim Botânico do Porto ocorre um workshop gratuito que ensina os segredos das orquídeas

José Santos

Se tem crianças consigo este fim de semana, damos-lhe duas sugestões: este sábado, das 15h às 17h, no Teatro do Bolhão, há "Ateliers de movimento para pais e filhos", com a coordenação de Joana Providência e Anabela Sousa. Dois ateliers, de duas horas cada, propõem temas diferentes para trabalhar e comunicar com o corpo. "Uma Carta Traz-nos Alguém" e "Corpos Paisagem" contêm jogos onde usa o corpo para o movimento, faz-se uma pequena coreografia para os mais novos aprenderem, exploram-se movimentos a partir do tema e apresenta-se o resultado no fim. Por 5€, duas pessoas fazem uma sessão.

Se preferir música a movimento, na Casa da Música os formadores Joana Araújo e Tiago Oliveira propõem o workshop "Primeiros Sons", para crianças dos 4 aos 6 anos. Nesta viagem que pode ser encarada como iniciação musical mistura-se uma série de narrativas infantis, contam-se histórias em que o Capuchinho Vermelho dança com o Gato das Botas e ouve-se o Lobo Mau cantar um fado, muito incomodado por ter uma ervilha nas costas. Há três 'worskshops' disponíveis, consoante a faixa etária. Dos 0 aos 23 meses, dos 2 aos 3 anos e dos 4 aos 6, nos seguintes horários, repetivamente: 10h30, 11h45 e 15h. O preço do bilhete é 10€ por criança e 7,5€ por acompanhante.

"Os Primeiros Sons", na Casa da Música, são iniciação musical para crianças dos 4 aos 6

"Os Primeiros Sons", na Casa da Música, são iniciação musical para crianças dos 4 aos 6

E para jantar fora?

Gosta de peixe? Gosta de mar? Então, a Casa da Guripa, em Matosinhos, pode ser o local para si. Três andares com vista mar oferecem uma carta ancorada em torno dos seus "habitantes": peixe e marisco. Aberto desde o verão passado, o chef Carlos Grangeia aposta na sopa do mar, no risotto de camarão e lima ou no caril de gambas com arroz basmati para celebrar a praia e a vila piscatória da Guripa.

Na Baixa do Porto, existe um local sofisticado perfeito para beber um copo ou jantar em grande estilo. Na Champanheria da Baixa Bistrô, o bar redondo, ao centro, com uma árvore lá dentro, oferece charme e privacidade às mesas em volta. A ementa é cuidada e ali pode encontrar "tártaros de salmão marinado g'vine (um gin), com alga nori em tempura e puré de beterraba", "tornedó de novilho com crème de wasabi e cogumelos enoki" ou "suspiro de red velvet, crème fraiche e sobremesa". Só para criar água na boca...

Sofisticação, estilo e uma ementa cuidada são as apostas da Champanharia da Baixa Bistrô, no Porto

Sofisticação, estilo e uma ementa cuidada são as apostas da Champanharia da Baixa Bistrô, no Porto

LUCILIA MONTEIRO

Se a sua opção for de mais "movida", então o sítio para si pode ser o Book, o restaurante-bar que adotou a casa que durante décadas foi da Livraria Avis. Em plena Baixa, o Book aproveitou a história e tradição do local e apostou nas memórias literárias. A ementa é em forma de livro, estes pendem do teto, há uma estante bem recheada de exemplares que podem acompanhar a refeição, e até os cocktails têm nomes de escritores. O ambiente é charmoso, culto e a ementa não deverá desiludir: no prólogo (ou epílogo) esperam por si um "Mojito Hemingway” e a “Caipirinha de Cravo e canela", enquanto o enredo principal tem como possíveis personagens o "polvo grelhado com batata doce”, a “açorda de camarão com ovas”, a “barriga de leitão confitada com 'country potatoes'”, a “Trilogia de hambúrgueres” ou o "Risotto de Rabo de Boi". Para concluir, parece que a coisa a fazer é provar “O melhor pão de ló do Universo”. Será?

Na antiga livraria Avis nasceu um restaurante que manteve a alma literária do espaço. Na decoração e na ementa

Na antiga livraria Avis nasceu um restaurante que manteve a alma literária do espaço. Na decoração e na ementa

Pedro do Canto Brum