Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

YouTube quer fazer concorrência à Netflix e à Amazon

  • 333

AO ATAQUE. Robert Kyncl, Manager do YouTube e ex-veterano da Netflix

d.r.

O mais famoso site de vídeos lança já a 10 de fevereiro um canal pago de séries e filmes exclusivos de produção própria. Trailer da primeira série teve 500 mil visualizações na primeira hora

A julgar pelo número de visualizações do trailer de "Scare PewDiePie", que em apenas três horas foi visto por mais de 500 mil pessoas, a decisão parece acertada. A partir da próxima quarta-feira, 10 de fevereiro, o YouTube junta-se à Netflix e à Amazon Prime e passa a ter programação própria, num canal exclusivo que oferece filmes e séries exclusivas para assinantes.

Por 9,99 dólares por mês (9 euros), os subscritores do Red Originals vão ainda ter garantidas outras vantagens como vídeos sem anúncios, a possibilidade de fazer download de conteúdos para assistir off-line e a assinatura do Google Play Music. Para já, o serviço apenas estará disponível nos Estados Unidos, mas a empresa já está a planear o alargamento do serviço à Europa e outras regiões.

O lançamento do YouTube Red Originals foi anunciado esta quarta-feira, numa apresentação em que foram já desvendados quatro programas exclusivos a que os assinantes terão acesso: a longa-metragem “A Trip to Unicorn Island”, que mostra a jornada da youtuber Lilly Singh, conhecida na rede como “Superwoman”, por 26 cidades espalhadas pelo mundo; “Dance Camp“, uma série sobre a equipa da AwesomenessTV, que conta histórias de amizades, paixões e descobertas a partir da dança; a comédia “Lazer Team”, sobre uma batalha para salvar o planeta de um inimigo poderoso; e “Scare PewDiePie“, uma série produzida pelos criadores do "The Walking Dead" em que o youtuber mais famoso do mundo experimenta situações inspiradas por vídeojogos.

O canal de PewDiePie conta com 42 milhões de seguidores no YouTube, um número que promete atrair muitos utilizadores ao YouTube Red Originals — a mais recente tentativa da Google em encontrar uma forma de capitalizar conteúdos exclusivos dentro do portal gratuito de vídeos.

“Os criadores dinâmicos e diversificados por trás desses filmes já construíram imensas audiências no YouTube, rivalizando com muitos programas de TV”, explicou Susanne Daniels, diretora global de Conteúdo Original do YouTube, no blogue da empresa. “Com o YouTube Red Originals queremos ajudá-los a contar histórias maiores e mais ousadas para atrair os seus fãs”. Para já, ainda não há data de lançamento do novo serviço em Portugal.