Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Cavaco foi à Estrela despedir-se de Almeida Santos

  • 333

MIGUEL A. LOPES /Lusa

Acompanhado pelo chefe da Casa Civil da Presidência, o chefe do Estado foi prestar uma última homenagem ao antigo presidente da Assembleia da República e presidente honorário do PS, cujo corpo será crrmado esta tarde

O Presidente da República foi esta manhã uma das primeiras personalidades a prestar homenagem ao presidente honorário do PS e antigo presidente da Assembleia da República, Almeida Santos, que morreu na segunda-feira aos 89 anos.

Eram cerca das 10h15 quando Cavaco Silva, acompanhado pelo chefe da Casa Civil da Presidência chegou à Basílica da Estrela, onde o corpo de Almeida Santos está desde terça-feira à tarde em câmara ardente.

Antes do Presidente da República, que não prestou declarações aos jornalistas, tinha já entrado na Basílica da Estrela o antigo presidente do CDS Adriano Moreira.

Até às 11h, tinham já também passado pela igreja do centro de Lisboa o antigo presidente da Assembleia da República Mota Amaral, a procuradora-geral da República Joana Marques Vidal, o ex-líder do CDS Ribeiro e Castro, o antigo ministro socialista Alberto Costa, a deputada do PS Sónia Fertuzinhos e o deputado do partido ecologista Os Verdes José Luís Ferreira.

Às 14h desta tarde, o corpo de Almeida Santos segue para o cemitério do Alto de São João, em Lisboa, onde será cremado.

  • Morreu Almeida Santos

    Presidente honorário do Partido Socialista morreu aos 89 anos. Sentiu-se mal após o jantar desta segunda-feira e acabou por morrer pouco depois. Ainda recentemente esteve numa ação de campanha de Maria de Belém, de quem era apoiante

  • Por favor, preocupem-se

    Se há príncipes numa República, Almeida Santos foi um deles. Foi tão príncipe quanto Soares foi ‘Rei’. Esses tempos passaram. Muito do que um e outro disseram e fizeram seria hoje desconsiderado por parte deste PS. Almeida Santos considerava-se um pessimista e o advir de tempos novos preocupavam-no mais do que o exaltavam: “Sou muito pessimista sobre o futuro da nossa civilização e acho que o pior da globalização é o cidadão globalizado, sujeito aos valores do capitalismo liberal”

  • Almeida Santos. O príncipe dos bastidores

    Almeida Santos foi uma das figuras mais importantes da política do pós-25 de Abril. Jurista brilhante, ministro vezes sem conta e legislador omnipresente, nunca foi especialmente amado. Morreu um dos maiores protagonistas da política e o príncipe dos seus bastidores