Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Açores. Primeiras derrocadas e transbordo de ribeiras

  • 333

EDUARDO COSTA / Lusa

Aumento da precipitação, aumento da intensidade do vento e algumas ocorrências de pequenas derrocadas e transbordo de ribeiras, foram registados nas ilhas do Pico e em São Miguel. Mas “nada de monta”, sossega o presidente do Governo regional

O presidente do Governo açoriano, Vasco Cordeiro, dá conta do registo de pequenas derrocadas e transbordo de ribeiras, nomeadamente no Pico e em São Miguel, na sequência da passagem do furacão Alex, situações de "pequena monta já solucionadas".

"Há efetivamente um aumento da precipitação, um aumento da intensidade do vento e há já algumas ocorrências de pequenas derrocadas e transbordo de ribeiras, nomeadamente nas ilhas do Pico e em São Miguel. Não é nada de monta, mas de qualquer forma já se registam essas ocorrências, que têm sido prontamente solucionadas com a intervenção de bombeiros e dos serviços da administração regional, nomeadamente Recursos Florestais e Obras Públicas, que têm tido uma intervenção mais direta no terreno", disse Vasco Cordeiro, cerca das 9h locais (10h em Lisboa).

O governante falava em declarações aos jornalistas na sede do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, em Angra do Heroísmo, tendo acrescentado que não há registo "de qualquer situação de monta" relacionada com a preia-mar, que se verificou por volta das 4h/6h.

Vasco Cordeiro salientou, no entanto, e segundo "os últimos dados disponíveis", que a "fase mais crítica será entre o final da manhã e princípio da tarde", o que "corresponderá à passagem do centro do furacão entre São Jorge e Terceira".

Apesar de ser uma situação meteorológica que "inspira cuidados", sublinhou, é importante "transmitir uma nota de tranquilidade e serenidade", assegurando que vários serviços e departamentos estão atentos e prontos para intervir - bombeiros, serviços municipais de proteção civil, Serviço Regional de Proteção Civil e vários serviços da administração regional.

O presidente do Governo dos Açores, que vai continuar a acompanhar a situação na sede do Serviço Regional de Proteção Civil, voltou a apelar à população açoriana para que cumpra as recomendações destes serviços. Sublinhou ainda que outros elementos do seu executivo estão também noutras ilhas a acompanhar o evoluir da situação.

Graciosa, São Jorge e Terceira são as ilhas dos Açores com maior probabilidade de serem atingidas pelo furacão Alex, que às 8h locais se encontrava a 210 quilómetros a sul da Terceira, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Um comunicado entretanto colocado na página do Facebook da delegação regional dos Açores do IPMA reitera que "muito embora haja indícios de algum enfraquecimento na sua estrutura, o Alex deverá manter no essencial as características inicialmente previstas durante a sua passagem nos Açores", mantendo "a previsão de precipitação forte, ventos com rajadas que podem atingir os 160 km/h e ondas com altura máxima de 18 metros no grupo central", do qual fazem parte, ainda, as ilhas do Pico e Faial.

Já o grupo oriental (São Miguel e Santa Maria) "será afetado com menos intensidade, com ventos com rajadas na ordem dos 130 km/h, ondas que podem ultrapassar os nove metros e precipitação forte".

O mesmo comunicado adianta que "ao longo da tarde deverá verificar-se uma melhoria do estado do tempo nas ilhas" dos dois grupos.