Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Proteção Civil alerta para continuação de cheias no Porto e Vila Real

  • 333

A subida do caudal do rio Leça também provocou inundações na Maia, Porto

RUI FARINHAS / LUSA

Estima-se que o pico das cheias aconteça às três da manhã, quando se registar uma eventual subida do caudal do rio Douro devido às descargas nas barragens em Espanha e a ocorrência da maré alta. Até às 21h30, a Proteção Civil registou 836 ocorrências

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) alertou este domingo para a continuação da ocorrência de cheias nos distritos do Porto e de Vila Real durante a noite devido à persistência da precipitação nas próximas horas e aumento dos caudais do Douro.

Numa conferência de imprensa realizada nas instalações da ANPC, em Carnaxide, concelho de Oeiras, o comandante nacional de Operações de Socorro, José Manuel Moura, indicou que "o alerta amarelo vai manter-se até à meia-noite de segunda-feira", mas não se preveem cheias no sul do país.

Até ao momento, a ANPC registou 836 ocorrências, sobretudo devido a inundações e quedas de árvores, mas o responsável indicou que não existem vítimas, a não ser um bombeiro que ficou ferido sem gravidade quando fazia o corte de uma árvore.

A ANPC indicou que as cheias que poderão ocorrer em particular "nas zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis" dos municípios do Porto, Vila Nova de Gaia, Gondomar, Penafiel, Amarante (distrito de Porto) e Peso da Régua (distrito de Vila Real).

"A zona norte do país tem sido a mais atingida pelas cheias devido aos vários dias de precipitação acumulada, que está a afetar seriamente as bacias hidrográficas", disse o comandante, acrescentando que são esperadas mais ocorrências de cheias durante a noite de hoje e madrugada de segunda-feira.

A ANPC estima que o pico das cheias aconteça às 3 horas de segunda-feira, quando se registar uma eventual subida do caudal do rio Douro devido às descargas nas barragens em Espanha e a ocorrência da maré alta.

Embora a frente de precipitação esteja a progredir para o sul, será menos forte, e não estão previstas inundações, segundo o comandante nacional de Operações de Socorro.

"Não estão previstas cheias no sul do país, mas as populações devem adaptar os seus comportamentos ao mau tempo em todo o país, nomeadamente na condução mais atenta, e evitar a prática de desportos em zonas afetadas pelo mau tempo", alertou o responsável.

Além das zonas ribeirinhas, a ANPC considera a possibilidade de inundações nos meios urbanos devido à possível obstrução de sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados, ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas.

A Proteção Civil alerta a população também para não se expor às zonas afetadas pelas cheias, evitar percorrer zonas inundadas, a pé ou em viaturas, para não correrem o risco de arrastamento.

Aconselha ainda para seguirem as informações do estado do tempo e as indicações da Proteção Civil e das forças de segurança.

  • Mau tempo. Rio Douro vai galgar margens do Porto e Gaia

    O aviso foi feito pela Câmara Municipal do Porto: face ao agravamento das condições meteorológicas, é previsto que algumas zonas a água suba um metro acima das soleiras das portas. A situação “não é de alarme, mas de alerta e prevenção“, reitera a autarquia

  • Mau tempo causa danos nas regiões norte e centro do país

    O descarrilamento de um comboio, aluimento de terras numa autoestrada, um centro comercial evacuado e uma dezena de casas atingidas são até agora os principais danos causados pelo mau tempo, que está a afetar particularmente as zonas norte e centro