Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Mau tempo causa danos nas regiões norte e centro do país

  • 333

José Coelho / Lusa

O descarrilamento de um comboio, aluimento de terras numa autoestrada, um centro comercial evacuado e uma dezena de casas atingidas são até agora os principais danos causados pelo mau tempo, que está a afetar particularmente as zonas norte e centro

Um comboio regional de passageiros descarrilou este domingo na zona de Contenças, Mangualde, e provocou três feridos ligeiros, de acordo com os bombeiros de Mangualde. O comboio fazia a ligação entre Coimbra e a Guarda e descarrilou junto ao apeadeiro de Contenças “possivelmente devido a alguma derrocada” que terá precipitado obstáculos para a via férrea.

Na Maia, Porto, as chuvas intensas causaram a inundação do parque de estacionamento do centro comercial Maia Jardim, que acabou por ser evacuado e encerrado. De acordo com o CDOS do Porto, o mau tempo levou ao desabamento de duas das faixas de rodagem numa rotunda junto àquele espaço comercial e ao aluimento de terras na autoestrada 41, na Maia. Esta seria cortada ao trânsito no sentido Alfena-Matosinhos.

Já em Gaia, três freguesias viram o rio Douro galgar as margens. Avintes, Crestuma e Afurada são os locais afestados. Segundo o Comandante da Proteção Civil de Gaia, o rio subiu as margens nas três freguesias ribeirinhas pelas 15 horas e várias equipas estão nos locais a acompanhar a situação. “Para a noite vai complicar-se muito”, afirmou Salvador Almeida, segundo o qual os pescadores da Afurada já estão a ser alertados.

A subida do caudal do Rio Leça tornou inacessível uma habitação em Águas Santas, na Maia, obrigando ao resgate da moradora durante a manhã.

Esta madrugada, cerca de duas dezenas de casas situadas na zona de Lavra, concelho de Matosinhos, sofreram estragos provocados pelo vento forte.

Segundo António Lima, adjunto dos Bombeiros Voluntários de Matosinhos-Leça, os danos ocorreram sobretudo ao nível dos telhados, das janelas, das caleiras e das persianas, mas todas as casas ficaram habitáveis. Ainda de acordo com este operacional, as telhas de um restaurante “voaram” em direção a uma habitação do outro lado da rua, atravessaram a janela e causaram danos na sala.

Na mesma zona da freguesia de Lavra, os bombeiros foram chamados a retirar duas pessoas acamadas da sua habitação para casas de vizinhos, devido a inundação, tendo a casa ficado temporariamente inabitável.

O mau tempo obrigou ainda ao corte de trânsito na Estrada Nacional (EN) 14 e da 104, à passagem pelo concelho da Trofa, distrito do Porto, tendo o tráfego sido desviado para vias alternativas.

Mais de 130 ocorrências só no Porto

A proteção civil registou hoje mais de 130 ocorrências no distrito do Porto por causa do mau tempo, na sua maioria inundações, com os concelhos da Maia e Matosinhos a serem os mais afetados. De acordo com o CDOS do Porto, entre as 00h00 e as 13h00 de hoje foram registadas 131 ocorrências relacionadas com o mau tempo, 117 das quais inundações. A proteção civil foi também chamada para 26 limpezas de via, 24 quedas de estruturas, nove quedas de árvore e cinco deslizamento de terras. No distrito, os concelhos mais afetados pelo mau tempo foram Maia e Matosinhos.

A nível nacional, a Autoridade Nacional a Proteção Civil (ANPC) registou, entre as 00h00 e as 12h30, 352 ocorrências devido à chuva e vento fortes e alertou que a situação meteorológica vai agravar-se nas próximas horas, principalmente ao final do dia.

Entretanto, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou de seis para 10 os distritos em aviso laranja, o segundo mais grave, por causa do mau tempo, prevendo agitação marítima também em Lisboa, Setúbal, Leiria e Coimbra.

Ao início da manhã, o aviso laranja tinha sido acionado para os distritos de Viana do Castelo, Braga, Vila Real, Porto, Aveiro e Viseu, mas cerca das 12h20 passou a abranger mais quatro distritos, tendo em conta a agitação marítima. Beja, Guarda, Castelo Branco e Faro estão com aviso amarelo.

[notícia atualizada às 17h48]