Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

“Menu medroso, cauteloso ou cruel” e outras oportunidades do fim de semana

  • 333

Se quer iniciar 2016 em beleza, fique a conhecer algumas propostas em Lisboa e no Porto que podem enriquecer o seu fim de semana. Venha daí...

Na capital do país, ainda sob o brilho das luzes natalícias, que melhor forma pode escolher de dar as boas-vindas do que ao som de música grandiosa? O Grande Concerto de Ano Novo, este sábado, às 17h, no Coliseu dos Recreios, conta com a 'performance' da Strauss Festival Orchestra para lhe trazer a música festiva e alegre do compositor vienense, imortalizado pelas valsas. O Strauss Festival Ballet Ensemble acompanha, dotando o espetáculo de beleza adicional. Os que preferem o bailado à música têm uma boa alternativa domingo, às 18h, no mesmo local: a Companhia de Ballet de S. Petersburgo apresenta a sua versão do "Quebra Nozes Acrobático", o clássico de Tchaikovsky que todos os anos sobe ao palco nesta época. Esta é uma interpretação mais arrojada, com uma nova geração de bailarinas do Teatro Mariinsky a executar saltos espetaculares, piruetas vertiginosas e acrobacias de deixar os olhos em bico. Um bailado invulgar, executado pelas melhores.

Se tem em casa fãs acérrimas da saga de JRR Tolkien, "O Senhor dos Anéis", sejam mais novos ou mais velhos, pode organizar-se para um serão diferente, com começo às 20h deste sábado na Fundação Calouste Gulbenkian: o Coro e Orquestra Gulbenkian juntam-se ao Coro Infanto-Juvenil da Universidade de Lisboa para uma interpretação ao vivo da banda sonora de Howard Shore, no filme "O Senhor dos Anéis: a Irmandade do Anel". Esta foi pensada como uma partitura operática, em que as línguas inventadas pelo autor inglês ganham vida e destaque. São duas experiências reunidas numa só: cinema e um concerto, ao melhor nível.

A Orquestra Gulbenkian realiza este sábado uma interpretação ao vivo da banda sonora do filme "O Senhor dos Anéis - a Irmandade do Anel"

A Orquestra Gulbenkian realiza este sábado uma interpretação ao vivo da banda sonora do filme "O Senhor dos Anéis - a Irmandade do Anel"

No teatro, este fim de semana é a última oportunidade para ver "A Importância de ser Agustina Bessa-Luís", no Teatro Taborda. Sexta, sábado e domingo, às 21h30, é apresentado o resultado da residência artística do ator Miguel Bonneville, um espetáculo criado a partir da vida e obra de artistas fundamentais. Depois de Simone de Beauvoir, é a vez de a escritora portuguesa Agustina Bessa-Luís, nome maior da literatura nacional, ser homenageada.

"A Importância de Ser Agustina", de Miguel Bonneville, é apresentado no Teatro Taborda

"A Importância de Ser Agustina", de Miguel Bonneville, é apresentado no Teatro Taborda

Numa nota mais bem humorada, pode rumar até ao Casino do Estoril para ver dois excelentes atores em palco: Bruno Nogueira e Miguel Guilherme interpretam o texto do escritor francês (judeu, mas ateu) Jean Claude Grumberg, "O Meu Vizinho é Judeu". Com encenação de Beatriz Batarda, a peça expõe uma série de questões sérias debaixo da capa do humor. Centrado no preconceito e na desconfiança do que é diferente, o enredo gira em torno de um prédio com vários vizinhos, onde o medo e o conflito entre "nós e os outros" assumem um papel central. Até ao fim do mês, às 21h30 (e aos domingos às 17h).

A peça "O Meu Vizinho é Judeu" debate em tom cómico questões sérias. No Casino do Estoril

A peça "O Meu Vizinho é Judeu" debate em tom cómico questões sérias. No Casino do Estoril

E se quer aproveitar o fim de semana para ir jantar a um sítio diferente, deixamos-lhe duas sugestões: um restaurante centrado no melhor da gastronomia açoriana, com o chefe Filipe Rodrigues ao leme (o antigo chef do Sea Me). Recém-inaugurado, o restaurante Rabo d'Pexe, no Saldanha, promete o melhor peixe, grelhado ou em sushi, e a melhor carne dos Açores, homenageados também no nome. Cherne, besugo, pargo ou salmonetes grelhados - mas também gunkans, uramakis, hot rolls ou nigiris - são possibilidades na ementa. Mas se não se conseguir decidir entre o peixe e a carne, experimente os dois: bife de novilho com lingueirão à Bulhão Pato, prego de pampo com foie gras em bolo lêvedo ou bacalhau com puré de grão e barriga de porco não irão desiludir.

O recém-inaugurado Rabo d'Pexe, no Saldanha, oferece o melhor do peixe e carne dos Açores

O recém-inaugurado Rabo d'Pexe, no Saldanha, oferece o melhor do peixe e carne dos Açores

José Caria

Para uma experiência ainda mais diferenciada, que tal ir jantar a um restaurante que só senta 20 pessoas e não tem serviço de carta? Não tem de se sentir louco para ir ao "Loco", o novíssimo restaurante do antigo chefe da Bica do Sapato, Alexandre Silva. São os cozinheiros que lhe sugerem as opções, que são duas apenas: um menu de 14 pratos (€60) e outro de 18 (€80), que estão permanentemente a ser alterados. A cozinha está no meio da sala, o restaurante é na Estrela, e dos nratos, rotativos, figuram iguarias como mexilhão com maçã e aipo. Da equipa fazem parte o chefe pasteleiro Carlos Fernandes e o sommelier Sérgio Antunes. Promete...

Se o seu fim de semana inclui diabretes de palmo e meio para entreter, deixamos-lhe duas sugestões. No Museu Coleção Berardo, em Belém, sábado a partir das 15h30 há "Filminhos Infantis à Solta pelo País". Para crianças dos 3 aos 12 anos, vários filmes, acompanhados de ficha pedagógica, serão exibidos para usufruir da tarde de sábado. N' "A Grande Migração" ou em "Um Dia de Sol", há personagens à espera de saltar para fora da tela. Foxy, Meg, Mancha, Ginjas e Manchinhas estão ansiosos por revelar as suas aventuras.

Este sábado, há "Filminhos Infantis à Solta pelo País" no museu Coleção Berardo

Este sábado, há "Filminhos Infantis à Solta pelo País" no museu Coleção Berardo

No rescaldo do Dia de Reis, acontece um atelier de coroas mágicas em Cascais, na Quinta Pedagógica Armando Villar. Sábado, às 17h, as famílias com crianças dos 3 aos 12 anos podem reviver por mais um dia a magia do Natal. Anita Lé vai ajudar os mais pequenos a criar coroas de rainhas, de fadas e de imperadores, e depois, vão passear, coroados, na floresta - e, quem sabe, cruzar-se com pequenos gnomos ou duendes em encontros mágicos.

A Norte, o que há de novo?

O Porto nunca é parco em ofertas interessantes. Na cena musical há um projeto diferente para ouvir no Teatro Helena Sá da Costa. O grupo "The Gypsies", formado por Daniel Faustino, Luís Santos, Matheus Peixoto e Nuno Pires, é de etnia cigana e nasceu em Leça da Palmeira em 2012. A sonoridade da banda abrange vários estilos, do rock alternativo ao indie, passando pelo funk, o psicadélico, com influências da música do mundo. Nada a ver, portanto, com a associação que fazemos à música "cigana". Um espetáculo animado é garantido. Às 21h30, no Teatro Helena Sá da Costa, Rua da Alegria, 503, Porto.

Tem um fraquinho por feiras e mercados de rua que vendem de tudo um pouco? Então dê um salto ao Mercadinho dos Clérigos, na Rua Cândido dos Reis. Há artesanato, roupa, antiguidades, produtos biológicos, flores, além de música ou animação de rua. Caso chova, o mercado muda de poiso para o Plano B. Sábado das 10h às 20h, é garantia de um dia bem preenchido.

Sábado há Mercadinho dos Clérigos. Ali pode comprar de tudo um pouco e ouvir música

Sábado há Mercadinho dos Clérigos. Ali pode comprar de tudo um pouco e ouvir música

Rui Duarte Silva

E se no ano que findou teve pouco tempo para se atualizar em matéria de exposições, não perca duas grandes que estão nos últimos dias: uma, em Serralves, a de Helena Almeida, "A minha Obra é o meu corpo, o meu corpo é a minha obra", termina este domingo 10. E um dia mais tarde, na Alfândega do Porto, termina outra que não deve perder, a do Exército de Guerreiros Xian". Comecemos pelo princípio.

A exposição dedicada a Helena Almeida percorre o seu trabalho de pintura, fotografia, vídeo e desenho ao longo de quase 50 anos. Permanente é sempre a importância do corpo, que perpassa as suas pinturas "habitadas" ou as suas séries fotográficas. Expostas estão também obras que raramente foram exibidas ao longo da sua carreira.

Este fim de semana é o último para ver a exposição da artista Helena Almeida em Serralves

Este fim de semana é o último para ver a exposição da artista Helena Almeida em Serralves

Já na Alfândega do Porto tem uma maravilhosa exposição Histórica com muitos séculos à espera de ser apreciada. "O Exército de Terrracota dos Guerreiros de Xian" reúne um conjunto de 8000 figuras de guerreiros e cavalos em tamanho real, que foram enterrados junto ao túmulo do Primeiro Imperador da Dinastia Qin, em 210-209 a.C. Mais de 150 reproduções em tamanho real podem ser vistas no Porto. Classificadas como Património da Humanidade pela Unesco em 1987, o exército de terracota foi descoberto por agricultores chineses em 1974. Há ainda vários ateliers para os mais pequenos com o objetivo de mostrar a riqueza cultural da China.

O Exército de Guerreiros de Terracota, pela primeira vez no Porto, só podem ser vistos até dia 11. Não perca

O Exército de Guerreiros de Terracota, pela primeira vez no Porto, só podem ser vistos até dia 11. Não perca

Lucília Monteiro

A pensar nos mais novos, aproveite os últimos dias para ir patinar nas pistas de gelo da Praça D. João I ou Mouzinho de Albuquerque. Até 11 de janeiro, patinar de manhã é gratuito nas pistas de gelo natural, onde há ainda carrosséis, uma mini-roda gigante, carrinhos de choque, cinema 5D, e um espetáculo de magia. Tudo ingredientes que farão as delícias dos miúdos.

Ainda na senda do Dia de Reis, este domingo, às 11h, há Concerto de Reis para a Pequenada, no espaço CreSer.desenvolvimentopleno, em Vila Nova da Gaia. A partir dos 3 meses e até aos 6 anos, um espetáculo pensado para toda a família (necessita de inscrição prévia,para o telefone 96 776 27 73. Rua Clube dos Caçadores, 112, Vila Nova de Gaia).

Para crianças um pouco mais crescidas, dos 6 aos 9 anos, uma oficina de escrita promete ocupá-las em torno das palavras. Sábado 9, durante uma hora, vamos "Brincar com Palavras", explorar sons, a capacidade de síntese, construir narrativas de faz-de-conta e pequenos poemas. A Livraria Gambiarra propõe, com a ajuda de Ana Milhazes, fazer jogos de fonética, memória gráfica, transposição e contemplação, organização mental e expressiva e jogos de continuidade.

Gambiarra Livraria-oficina, Rua de Gondarém, 782 D, Porto. Tel: 934593386 Preço:10€

Na Livraria Gambiarra, sábado é dia de "Brincar com Palavras"

Na Livraria Gambiarra, sábado é dia de "Brincar com Palavras"

LUCILIA MONTEIRO

E se alguém, num restaurante, lhe perguntar se quer o "menu medroso", o "cauteloso" ou o "cruel"? Qual se sentiria impelido a escolher? Na R. da Picaria, no Porto, fazem essa pergunta no nº 86. O chef do Cruel é Luís Américo, a decoração ficou a cargo da mulher, que é encenadora, e o nome foi escolha... da filha. O resultado só poderia ser bom - e original. Que o digam pratos como "risotto de cogumelos com alucinação", em que os flocos de atum são tão finos que se mexem sozinhos, dando a ilusão de estar a delirar, ou sobremesas como "bolas de Berlim com mouse de salmão e wasabi".

Mas há opções menos ousadas. Os menos temerários podem "arriscar" tarte de cogumelos com queijo, azeitonas e tomate; naco de novilho na brasa com batata a murro; e espuma de baba de camelo com maçã caramelizada e amêndoas merengadas. Os cautelosos podem pedir "crostini de alho negro com pimentos piquillo e mozzarella"; francesinha à diávola; ou "coscorões com açúcar, canela e flor de sal". Finalmente, os homens (e mulheres) de "paladar rijo" têm à disposição criações como "orelha de elefante com arroz de tomate", "carpaccio de novilho com folha de Sichuan", que aumenta a produção de saliva na boca, alterando a sensação provocada, "toucinho do inferno" ou "tiramisú de lima em coma alcoólico".

Também pode pedir pratos de menus diferentes, ou baralhar e voltar a dar. Certo é que será uma refeição diferente. Boas entradas, bons pratos, e bom ano!

No restaurante Cruel há três ementas, consoante a coragem do comensal: medroso, cauteloso ou cruel. Qual será a sua opção?

No restaurante Cruel há três ementas, consoante a coragem do comensal: medroso, cauteloso ou cruel. Qual será a sua opção?

Rui Duarte Silva