Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Mau tempo nos Açores causou prejuízos de €65 milhões

  • 333

EDUARDO COSTA / Lusa

Em meados de dezembro, o mau tempo nos Açores provocou um morto e a Proteção Civil contabilizou centenas de incidentes e estragos em habitações, escolas, equipamentos culturais e desportivos, aeródromos, portos e rede viária

O mau tempo que atingiu o arquipélago dos Açores em dezembro causou prejuízos na ordem dos 65 milhões de euros, 50 milhões dos quais nos portos, disse esta quarta-feira o presidente do Governo Regional Vasco Cordeiro.

"O Governo Regional estimou em 15 milhões de euros os danos causados pelo mau tempo, excluindo portos. [Só nos ] portos, a nossa estimativa é que esse prejuízo se aproxime dos 50 milhões de euros, que só a componente de portos se aproxime desse montante", disse o governante.

Vasco Cordeiro falava aos jornalistas no final de uma audiência que teve esta manhã com o primeiro-ministro, em Lisboa, reunião em que também ficou acordado com António Costa um "projeto de interesse comum" relacionado com a melhoria das acessibilidades marítimas ao arquipélago.

Segundo o governante, este projeto implica um "reforço de dotação de fundos comunitários" e permitirá cumprir "a solidariedade nacional, nomeadamente em alguns danos ocorridos em portos" na sequência do mau tempo.

O recurso a fundo comunitários "traduz essa ajuda e ela será muito importante para os Açores", afirmou.

A 14 de dezembro, numa semana em que o arquipélago esteve sob vários avisos meteorológicos devido sobretudo ao vento e à agitação marítima, o mau tempo nos Açores provocou um morto e só nesse dia a Proteção Civil regional contabilizou 157 incidentes, tendo as operações de socorro envolvido 440 operacionais e 109 viaturas.

Os prejuízos avançados pelo Governo Regional dos Açores na ordem dos 15 milhões de euros resultam da avaliação dos estragos em habitações, escolas, equipamentos culturais e desportivos, rede viária, aeródromos, entre outros.

Além disso, vários portos do arquipélago sofreram danos, incluindo o derrube de parte da cabeça do molhe do porto de Ponta Delgada.