Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Portugueses nunca gastaram tanto no Natal

  • 333

Nuno Botelho

Os dados mensais divulgados pelo Banco de Portugal revelam que os portugueses gastaram o valor mais elevado em compras de Natal desde o ano de 2000, primeiro ano em que há registos, segundo o “Jornal de Notícias”

É certo que há quem faça as compras de Natal mais cedo, mas há também quem as deixe para os últimos dias. E o que os números mostram é que este ano o que os portugueses gastaram atingiu valores muito altos.

Os portugueses gastaram 3712 milhões de euros em compras efetuadas com cartão de multibanco, entre 23 de novembro e 27 de dezembro, mais 7,3% do que igual período em 2014, noticia esta quarta-feira o “Jornal de Notícias” (JN).

Esse total mostra que nunca se gastou tanto dinheiro em compras de Natal desde o ano de 2000 (primeiro ano em que há registos).

Os dados mensais divulgados pelo Banco de Portugal mostram que foram necessários 93,4 milhões de operações de pagamento com multibcanco para atingir este recorde.

O JN também refere que, de acordo com a SIBS, empresa que gere os mulitbancos, “foram efetuados 41,5 milhões de euros de levantamentos” durante o período analisado. Apesar de ter sido um valor inferior em 0,6% que em igual período em 2014, houve um aumento no valor levantado de 1,4%, “totalizando 2803 milhões de euros”.

23 e 24 de dezembro: dias históricos

Apesar de a correria do Natal começar cedo, há sempre quem guarde as compras para os dias mais próximos das festas. Assim, no dia 23 de dezembro registaram-se 6 milhões de operações na rede de multibanco, permitindo que se tornasse o dia com mais operações realizadas. O valor médio levantado por dia foi de 67 euros. Já o valor médio pago por compras em lojas foi de 40 euros.

Segundo o JN, os últimos dados da SIBS referem que “só o dia 23 de dezembro representou um crescimento de 6,3% face ao mesmo dia em 2014”. No dia 24 de dezembro, pelas 13h, a rede de multibanco “registou um pico de 229 transações por segundo”.

Passado o período natalício, vem ainda tempo para as trocas das prendas e para gastos no período de saldos.