Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Álcool matou mais do que drogas em 2014

  • 333

nuno fox

A Organização Mundial da Saúde coloca o consumo de álcool no topo dos principais riscos de morte ou doença. Portugal é o segundo país da União Europeia que mais bebidas alcoólicas consome

Em 2014, morreram 44 pessoas de overdose alcoólica, mais do que as que morreram por overdose de drogas. A informação é avançada pela edição desta quarta-feira do “Diário de Notícias”, que revela ainda que Portugal é o segundo país da União Europeia em que se bebe mais álcool.

“As overdoses por álcool são mais do que as devidas ao consumo de droga. Em 2014 foram 44. A faixa etária mais prevalente foi a de 45-54 anos e daí para baixo”, explica Manuel Cardoso, subdiretor-geral do Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD), ao matutino.

Embora não estejam disponíveis os dados relativos às overdoses de drogas em 2014, o relatório “A Situação do País em Matéria de Drogas e Toxicodependência”, publicado em 2013, revela que nesse ano morreram 22 pessoas por overdose de drogas (46% desses casos por consumo de opiácios, 36% por consumo de cocaína e 27% relativas ao consumo de metadona).

A overdose alcoólica acontece naqueles casos em que o consumo da bebida é tão elevado num curto espaço de tempo que o fígado não consegue decompor os produtos tóxicos, pelo que o sistema respiratório começa a desacelerar.

O álcool é considerado pela Organização Mundial da Saúde um dos cinco principais fatores de risco de morte ou doença. É que, para além dos casos de overdose, há outros perigos associados ao consumo destas substâncias: “O álcool contribui em, pelo menos, 6% para a redução da esperança e da qualidade da vida”, sublinha Manuel Cardoso ao DN, recordando que nos acidentes rodoviários 15% das mortes são atribuídas ao álcool e que o consumo destas bebidas tem peso em respetivamente 50% e 30% dos casos de cancro da boca e da faringe.

  • Estamos mais gordos e fumamos menos

    Inquérito Nacional de Saúde do INE mostra que a população obesa continua a aumentar, assim como os portadores de doenças crónicas. 35% dos portugueses com mais de 15 anos bebem álcool todos os dias, mas há cada vez menos gente a recorrer diariamente ao tabaco