Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Mapa interativo: maioria dos concelhos com média positiva

  • 333

É no interior Norte e Centro e no Alentejo litoral que se concentra o maior número de municípios com negativa nos exames do secundário. Entre os que apresentam melhores resultados, nenhum se situa abaixo do Tejo

Isabel Leiria

Isabel Leiria

texto

Jornalista

Raquel Albuquerque

Raquel Albuquerque

texto

Jornalista

Sofia Miguel Rosa

Sofia Miguel Rosa

infografia

Jornalista infográfica

Medido em cores, com os tons verdes a assinalarem médias nos exames do secundário iguais ou superiores a 10 valores, o panorama dos resultados dos alunos no último ano letivo é claramente positivo.

Há uma grande maioria de concelhos, entre os 273 onde se realizaram provas, nesta situação, liderados pela Batalha. Na 1ª fase dos exames, foi aí que se registou a média mais alta: 12,45 valores num total de 237 provas. Segue-se Arruda dos Vinhos, que conta apenas com uma escola com ensino secundário (o Externato Padre Alberto Faria, privado, mas com contrato de associação com o Estado) e mais do dobro dos exames.

Entre os 20 concelhos que atingiram médias superiores a 11,5 (assinalados a verde escuro) há ainda outras constatações: nenhum se situa a sul do Tejo; há casos improváveis como Mangualde (no distrito de Viseu); e municípios vizinhos que se destacam, como Alcanena, Batalha e Ourém ou ainda Arruda dos Vinhos e Mafra.

Noutras situações, concelhos que são limítrofes apresentam resultados entre os melhores e os piores do país. É o que acontece com Aveiro (11,54) e Murtosa (8,16) - um município pequeno e onde se realizaram muito poucas provas, pelo que está muito dependente de flutuações no grupo de alunos que em cada ano se apresentam a exame.

No distrito de Castelo Branco, entre Idanha-a-Nova (8,42 valores) e o Fundão (11,2 valores) acontece o mesmo.

De resto, Murtosa e Idanha-a-Nova são acompanhados por mais 23 concelhos que ficaram aquém dos 9 valores de média. E nestes há uma significativa sobrerrepresentação dos Açores.

Há o caso do Corvo, mas que não tem significado, já que a média é feita a partir dos resultados em dois exames e cuja classificação foi de 5 valores. Mas há também os casos de Praia da Vitória (o resultado mais baixo se se considerar um mínimo de 100 exames nacionais realizados), Lajes do Pico, Ribeira Grande ou Vila do Porto.

Olhando para o mapa das médias do secundário por concelho também fica evidente que, no território continental, é no interior Norte e Centro e no Alentejo litoral que se concentra o maior número de municípios com média negativa nos exames do secundário.

Finalmente, refira-se que, apesar de a escolaridade obrigatória ser agora de 12 anos, há 35 concelhos que não têm oferta de cursos gerais do secundário e oferecem apenas, na melhor das hipóteses, ensino profissional.

Alentejo Central e Alto Alentejo são as regiões onde existem mais concelho sem ensino secundário (a branco no mapa).

No caso do 9º ano, o mapa passa de verde para laranja, sobretudo do Mondego para baixo, pela simples razão de que a grande maioria (256 em 308, contando com Açores e Madeira) apresenta médias nos exames de Português e de Matemática nesse nível de ensino abaixo dos 3 valores.

Pela positiva, refira-se que há concelhos que se destacam nas médias do secundário que também aparecem aqui muito bem colocados. Arruda dos Vinhos, Alcanena, Coimbra, Viseu ou Mafra são alguns exemplos.