Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Eurostat. Programa europeu recolocou apenas 160 refugiados

  • 333

BULENT KILIC/GETTY IMAGES

Dados do 3.º trimestre mostram que mais de 410 mil pessoas requereram, pela primeira vez, asilo na União Europeia. Ao abrigo do previsto programa de recolocação de 160 mil refugiados, foi cumprido apenas 0,1% do total

Mais de 410 mil pessoas requereram, pela primeira vez, asilo na União Europeia (UE) no 3.º trimestre do ano, quase o dobro em relação ao trimestre anterior, informou na quinta-feira o gabinete oficial de estatísticas Eurostat.

O total representa uma diferença gigantesca quando comparado com o número oficial de recolocações, já que, ao abrigo do previsto mecanismo de recolocação de 160 mil refugiados, apenas foram efetivamente abrangidas 160 pessoas.

Entre julho e setembro deste ano, o número de pedidos para proteção internacional foi de 413.800, traduzindo uma subida de 94% em relação ao trimestre anterior, quando o número foi de 213.200.

Em Portugal, registou-se um decréscimo de 12% entre os dois trimestres, com as 220 pessoas que pediram asilo, no 3.º trimestre, a Lisboa a representarem 0,1% das solicitações à União Europeia.

Os números indicam que lideram os pedidos a Portugal os ucranianos (85), chineses (30) e paquistaneses (25).

No 3.º trimestre, o número de sírios e iraquianos que solicitou asilo mais do que triplicou, na comparação com o trimestre anterior, com o registo de 138 mil e 44.500 pessoas, respetivamente. As solicitações afegãs duplicaram, ultrapassando as 56.500. Estas três nacionalidades representaram mais de metade dos primeiros pedidos.

Por seu lado, Alemanha (108.305) e Hungria (108.085) receberam mais de 50% das solicitações totais, entre julho e setembro, seguindo-se, como Estados-membros com maior procura, a Suécia (42.500), Itália (28.400) e Áustria (27.600).

Em termos percentuais, foi a Finlândia que teve maior crescimento (842%). A Hungria registou 231%, a Suécia 197%, a Bélgica 191% e o Luxemburgo 154%.

A proporção dos pedidos por habitante foi mais elevada na Hungria (10.974 pedidos por milhão de habitante), à frente da Finlândia (4.362 por milhão), Áustria (3.215), Finlândia (2.765), Alemanha (1.334), Bélgica (1.301) e Luxemburgo (1.108).

Já a menor proporção observou-se na Eslováquia (três pedidos por milhão de habitantes), Croácia (8), Roménia (14) e Portugal (21).

Os números divulgados pela Comissão Europeia confirmam terem ido 49 pessoas para a Finlândia, 19 para França, 11 para a Alemanha, 12 para Espanha, 39 para a Suécia e 30 para o Luxemburgo, num total de 160 recolocações, ao abrigo do mecanismo que prevê abranger 160 mil refugiados.

O executivo comunitário fez ainda saber que entre setembro e novembro foram repatriadas 658 pessoas.