Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

A nova campanha do Governo: “O combustível simples é bom”

  • 333

Marcos Borga

Combustíveis sem aditivos são comercializados por imposição legal em todos os postos de abastecimento desde 17 de abril passado, o que foi contestado pelas petrolíferas

O Governo vai promover uma nova campanha de sensibilização sobre os combustíveis simples, que prevê a distribuição de um milhão de folhetos junto aos postos de abastecimento em todo o país até ao final do ano. "O combustível simples é bom" é a principal mensagem da campanha que arranca na próxima segunda-feira, promovida pela Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis (ENMC), oito meses após a introdução destes combustíveis em todos os postos de abastecimento.

A campanha destaca que "o combustível simples vendido em Portugal tem origem no mesmo processo de refinação que todos os outros combustíveis vendidos no país", tendo garantia dos construtores de automóveis europeus e validação pelas principais associações ambientalistas europeias. "Cumpre as normas de qualidade mais exigentes no mundo", lê-se nos panfletos que vão ser distribuídos nas próximas semanas.

Já antes, a ENMC - que tem a responsabilidade de supervisionar e fiscalizar todo o mercado de combustíveis em Portugal - tinha lançado uma campanha de sensibilização sobre os combustíveis simples nos meios de comunicação, que agora também será retomada.

Os combustíveis simples (sem aditivos) são comercializados por imposição legal em todos os postos de abastecimento desde 17 de abril passado, o que foi contestado pelas petrolíferas, que inclusive avançaram com uma providência cautelar. Em novembro, a Justiça considerou improcedente a providência cautelar das petrolíferas que contesta a lei que obriga à introdução de combustíveis simples.

De acordo com os últimos dados da ENMC, a introdução de combustíveis simples não aditivados ('low cost') permite uma poupança de 168 milhões de euros anuais para os consumidores.