Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

O patrão dos “Angry Birds” demitiu-se

  • 333

PETER PARKS/GETTY IMAGES

Depois de um crescimento expressivo, a empresa que desenvolveu o jogo mais popular de smartphones atravessa um período complexo e complicado. Agora precisa que o filme que aí vem sobre os Angry Birds corra bem

Foi uma passagem curta, de apenas um ano: o presidente-executivo da Rovio, fabricante do jogo Angry Birds, está de saída. Pekka Rantala - que se demitiu - será substituído por Kati Levoranta, anunciou esta quarta-feira a empresa finlandesa, numa decisão que coincide com um processo de reestruturação em curso.

A verdade é que 213 funcionários foram já demitidos, estando previstas outras medidas de fundo e a redução de mais empregos, uma vez que a Rovio antecipa para este ano uma queda nos lucros .

Levoranta assumirá o cargo no início de 2016, tendo por objetivo garantir mais autonomia para duas das principais unidades da companhia - jogos e media.

“Como o cargo de presidente-executivo não vai ser tão interventivo, ele [Pekka Rantala] achou que já não era para ele", disse Kaj Hed, sócio maioritário da Rovio, citado pela Reuters.

Lançado em 2009, Angry Birds tem o recorde para a aplicação com mais downloads efetuado, a que a empresa somou vários outros produtos que exploram a marca. A quebra de vendas desses artigos tem, no entanto, sido uma evidência, pelo que a esperança reside agora na estreia do filme “Angry Birds 3D”, prevista para maio de 2016, e que poderá relançar a popularidade dos famosos pássaros.