Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Querido Pai Natal, queria pedir-te um pouco mais de tempo para que as crianças possam ser crianças

  • 333

Uma organização lembrou-se de pedir a algumas celebridades para escreverem uma carta ao Pai Natal. Há mais ou menos humor, mais ou menos complexidade. “Obrigada, Pai Natal... Gostava mesmo que existisses para os adultos”

“Querido Pai Natal, não devemos pedir a tua ajuda em relação ao ambiente, à crise dos refugiados, à educação, aos direitos humanos, ao fundamentalismo e às guerras. (…) As crianças precisam de alguma magia num mundo em que as fronteiras entre inocência e responsabilidade estão sempre a diminuir. E é isto que preciso de te pedir. Um pouco mais de tempo para que aquelas crianças possam ser crianças.”

Este é um excerto da carta que o ator britânico Benedict Cumberbatch escreveu ao barbudo que todos conhecemos. É que este ano, para comemorar o Dia Nacional da Escrita de Cartas - sim, é que se celebra esta segunda-feira no Reino Unido-, a organização Letters Live lembrou-se de pedir a algumas celebridades para escreverem uma carta ao Pai Natal.

Explicamos melhor: a Letters Live é uma organização britânica que todos os anos convida alguns atores ou figuras públicas bem conhecidas para ler cartas emblemáticas que tenham marcado, de alguma forma, a História. Na edição deste ano, foram lidas cartas de nomes como David Bowie, Marge Simpson, Gandhi, Elvis Presley, Richard Burton e Che Guevara. Os intérpretes? Ian McKellen, Kylie Minogue, Russell Brand, Caitlin Moran, Tom Hiddleston, Sally Hawkins, Sir Ben Kingsley e, claro, Benedict Cumberbatch.

Este ano, e aproveitando também o anúncio do evento em que essas leituras vão acontecer - março de 2016, soubemos esta manhã -, a organização decidiu assinalar também a quadra natalícia, pedindo a algumas das figuras que já leram correspondência em eventos anteriores para, desta vez, serem elas a segurar a pena e a deixarem uma mensagem ao Pai Natal.

Mas o ator britânico não foi o único a colocar no posto dos correios uma carta dirigida a uma das figuras icónicas do Natal. O vocalista dos Radiohead, Thom Yorke, foi outra das personalidades convidadas a escrever os seus desejos, mas não facilitou a vida ao barbudo: “Talvez este ano possas considerar não dar presentes aos executivos de companhias petrolíferas e aos políticos cuja influência eles compram?”, pergunta Yorke, acrescentando que gostaria de receber no sapatoinho “uns óculos para ler... aqueles azuis”. (Cumberbatch também teve o seu momento mais pessoal no fim da carta, quando perguntou ao Pai Natal: “Posso finalmente receber aquele sabre de luz”?).

Na sua missiva, a cantora Annie Lennox volta a tocar o tema da crise dos refugiados: “Podes garantir que gerações inteiras não são obrigadas a fugir das suas casas em cidades e aldeias de países afetados pela guerra, da Síria à Nigéria, já que eles são continuamente bombardeados, queimados e brutalizados...” E remata: “Obrigada, Pai Natal... Gostava mesmo que existisses para os adultos”.

Mas estas não foram as únicas celebridades que endereçaram os seus desejos ao Pai Natal. Para ler todas as cartas, pode ir ao site da organização.