Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

O circo regressa sem feras ao Coliseu e em forma de “máquina de felicidade”

  • 333

D.R.

Coliseu do Porto traz mais uma vez o circo à cidade, desta vez sem animais enjaulados e com programação própria

André M. Correia

A caravana do circo regressa ao Coliseu Porto a partir de sexta-feira, com palhaços que desafiam estereótipos, mágicos de Veneza, equilibristas de Xangai, uma acrobata do ‘Cirque du Soleil’, entre outras atrações, num conceito “mais contemporâneo e mais inovador”. O Monumental Circo chega para celebrar o Natal e desta vez não traz animais enjaulados.

Esta é a primeira vez que o Coliseu irá apresentar um espetáculo circense do qual estão incluídos números artísticos com animais. Em entrevista ao Expresso, o presidente do Coliseu, Eduardo Paz Barroso, afirma que “não faz qualquer sentido exibir animais enjaulados” e que isso “não é compatível com a sociedade contemporânea”.

O objetivo para esta edição passa por “qualificar artisticamente e esteticamente” o circo, revelou Paz Barroso. Na opinião do dirigente, "cada coisa deve estar no seu lugar” e “o lugar dos animais não é no circo”, garantindo que esta tendência será para manter enquanto se mantiver como responsável pela sala.

Entre 11 de dezembro e 3 de janeiro são muitas as atrações: equilibrismo, acrobacia, trapézio, malabarismo, trampolim, aéreo de tecidos e fitas, ‘quick change’, rola-rola, palhaços e “muita magia”, informa o Coliseu através de um comunicado.

Os artistas chegam das mais diversas latitudes e escolas artísticas. Para o presidente do Coliseu, isto reflete “a universalidade da cidade, que se assume como um ponto turístico de referência”.

De Veneza chega o espetáculo de magia e “um mágico de Veneza tem logo meio caminho andado para o sucesso”, considera Eduardo Paz Barroso. De Espanha chega uma dupla de palhaços que traz uma “componente mais teatral” e que “sai do estereótipo do palhaço rico e do palhaço pobre”, assegura.

A trupe de equilibristas pertence ao Circo Nacional de Xangai, enquanto do ‘Cirque du Soleil’ chega a acrobata Nicole Burgio. Nesta “seleção “eclética”, a organização destaca ainda o triplo salto mortal da companhia australiana de trapezistas ‘The Flying Aces’.

Este espetáculo de circo é pela primeira vez inteiramente programado pelo Coliseu Porto e foi pensado para “criar uma relação com o espaço arquitetónico da sala”, sublinhou Eduardo Paz Barroso. Este “é um espetáculo para famílias”, que pretende “reinventar” o circo. “É uma pequena máquina de felicidade”, considera o responsável por esta sala de espetáculos.

Nos dias 11 e 19 de dezembro a sessão é às 21h. Nos dias 22, 23, 26, 27, 29 e 30 de dezembro e em janeiro nos dias 2 e 3 acontecem às 15h. Já nos dias 13, 20 de dezembro, bem como a 1 de janeiro, as sessões são às 17h30.