Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Mário Ramires assume direção editorial do “Sol” e do “i”

  • 333

José António Saraiva, fundador e diretor do “Sol” desde 2006, deixa a direção do semanário mas mantém-se na nova empresa que substitui a Newshold, com o cargo de conselheiro editorial

O administrador da Newshold e antigo jornalista do Expresso e do "Sol" Mário Ramires vai assumir a direção editorial do semanário "Sol" e do diário "i" na nova fase dos dois projetos, agora fora da esfera do grupo de capital angolano Newshold.

A nova estrutura redatorial dos dois títulos terá ainda os jornalistas Ana Paula Azevedo e José Cabrita Saraiva, como subdiretores do "Sol", e Vítor Rainho e Ana Sá Lopes, como subdiretores do "i".

De saída da direção do "Sol" estão, assim, dois dos fundadores do projeto, José António Saraiva e José António Lima, que transitarão, no entanto, para a nova empresa que substituirá a Newshold, com os cargos de conselheiros editoriais. Ambos os jornalistas manterão também os seus espaços de opinião no "Sol".

Tal como foi avançado esta segunda-feira, a produção dos dois jornais passará a ser assegurada por uma equipa de 66 pessoas que transitam da anterior estrutura de ambos os títulos. Três quartos destes profissionais serão jornalistas. A reformulação em curso prevê também que o "i" passe a ser publicado apenas de segunda a sexta-feira, enquanto o dia de edição do "Sol" passa de sexta-feira para sábado. Esta nova edição do semanário passará a incluir o suplemento "BI", até agora distribuído com o "i". A revista "Tabu", do "Sol", deixará de existir.

Estas alterações surgem na sequência da decisão dos acionistas da Newshold - ou seja, a família Madaleno, liderada por Álvaro Sobrinho - abandonar a sua participação nestes projetos editoriais. Uma decisão que motivou o encerramento da empresa e o despedimento de perto de 120 pessoas.

Para a nova empresa que será criada para assumir a propriedade do "Sol" e do "i" - e que terá, por enquanto, apenas Mário Ramires como acionista - transitam as já referidas 66 pessoas que irão assegurar a produção dos dois jornais. Nesta mudança de uma empresa para a outra os trabalhadores sofrerão, no entanto, cortes substanciais nos vencimentos e regalias que recebiam até agora. A esmagadora maioria dos funcionários selecionados por Mário Ramires para a nova empresa eram dos quadros do "Sol".

O encerramento formal da atividade da Newshold deverá ocorrer no próximo dia 15, prevendo a holding que até essa data sejam satisfeitos todos os compromissos em falta. Nomeadamente os pagamentos a fornecedores, ao fisco e aos trabalhadores, incluindo os vencimentos deste mês, subsídios de Natal e indemnizações aos trabalhadores que não transitam para a nova empresa.

Sobre o financiamento deste novo projeto, Mário Ramires adiantou aos jornalistas do "Sol" e do "i", no plenário onde foram anunciadas todas as mudanças em curso e os despedimentos, que o arranque da nova empresa contará com o apoio de um empréstimo avançado pelos anteriores acionistas dos títulos. Por esclarecer está ainda se além de Mário Ramires a nova empresa terá depois outros acionistas ou investidores.