Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Bono e amigos celebraram em concerto luta contra a sida

  • 333

Pier Marco Tacca / Getty Images

Miley Cyrus, o vice-presidente norte-americano Joe Biden e Sting foram alguns dos que se juntaram ao vocalista dos U2, no Carnegie Hall em Nova Iorque, para homenagear as conquistas nesta área e quem ajuda a causa

Ao público que esteve presente no Carnegie Hall, em Nova Iorque, Bono Vox fez questão de explicar: “Esta é uma celebração. Esta é uma instigação. Esta é uma provocação. Este não é um concerto de caridade”.

O espetáculo, que esta terça-feira juntou vários nomes famosos e não apenas na área da música, foi a forma escolhida pelo vocalista dos U2 para homenagear as conquistas e os apoiantes das organizações sem fins lucrativos ONE e (RED), projetos cofundados por Bono, que combatem a pobreza e se empenham na luta contra a sida.

Em palco estiveram, entre outros, Miley Cyrus, o vice-presidente norte-americano Joe Biden, Sting e o comediante e apresentador televisivo Stephen Colbert.

Vários êxitos dos U2 foram passados em revista, com Bono e The Edge, tendo a noite sido também farta em agradecimentos.

Joe Biden marcou presença, com a sua mulher Jill, e recordou a forma como Bono o impressionou, convencendo vários líderes a ajudar as suas causas, incluindo o falecido senador Jesse Helms.

“Eu estava lá quando Bono entrou, conheceu pela primeira vez Jesse Helms, e de uma só penada convenceu-o a perdoar 6000 milhões [de dólares, 5660 milhões de euros] de dívida do Terceiro Mundo”, partilhou.

Biden também prestou homenagem ao ex-mayor de Nova Iorque, Michael Bloomberg, e Sting falou muito de Ngozi Okonjo-Iweala, ex-ministro das Finanças da Nigéria, enquanto o ex-presidente norte-americano Bill Clinton destacou o trabalho desenvolvido pelo empresário Mo Ibrahim.

Já Stephen Colbert, que subiu ao palco para homenagear Bill e Melinda Gates, lembrou uma confidência de Bono, que lhe disse ter sido uma conversa inspiradora com o criador da Microsoft que o levou a criar os projetos solidários.

Colbert pediu depois para os governos continuarem a trabalhar juntos para ajudar a organização, e rapidamente, por causa de... “Donald Trump”, disse. As gargalhadas entre a plateia fizeram-se ouvir, mas o comediante explicou: “Se ele for eleito, acabou-se tudo. Podem rasgar os livros deHhistória e passar a viver numa gaiola, porque será cada um por por si”.

Miley Cyrus, vestida em brilhante e reluzente cor de rosa, cantou músicas do seu mais recente álbum e acabou em lágrimas a sua atuação, após cantar, ao piano, “Pablow the Blowfish”. “Acabei de fazer 23 anos, e como um bebé sei que vou viver em num mundo livre de sida, um dia”, afirmou.

No dia em que se assinalou o Dia Mundial contra a Sida, Bono lançou ainda uma campanha para recolha de fundos que conta com o apoio de várias estrelas. À venda estão (até 21 de janeiro) “experiências únicas”, que podem valer desde um passeio de bicicleta com o cantor, até uma sessão de maquilhagem com Kim Kardashian, passando pela aquisição de um retrato pintado pelo ator James Franco.