Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Miss Canadá impedida de comparecer na final do Miss Mundo por razões políticas

  • 333

TYRONE SIU / Reuters

Além de criticar a repressão antidemocrática na China, Anastasia Lin é membro da seita Falun Gong, que está proibida na China, seu país-natal

Luís M. Faria

Jornalista

A China recusou o visto de entrada a Anastasia Lin, a atual Miss Canadá, impedindo-a de participar na final do concurso Miss Mundo. Lin, que tem 25 anos, cresceu na China até aos 13 e emigrou depois para Vancouver, com a mãe. Atriz e pianista, o ativismo político já por diversas vezes lhe causou problemas. Ela critica a natureza antidemocrática do regime de Pequim e defende abertamente o Falun Gong, um grupo religioso de inspiração budista que o Governo do país reprime violentamente desde 1999.

Em resultado, Anastasia tem sido objeto de retaliações. Quando começou a tornar públicos os seus pontos de vista, o pai dela, que ficou na China a tratar do negócio, telefonou-lhe a pedir que se calasse. A jovem recusou, e ele deixou de lhe enviar dinheiro. Lin não se intimidou a continuou a falar.

CHRIS HELGREN / Reuters

Agora, a jovem sentiu as consequências de outra forma. Há semanas que estava a espera de receber uma carta dos organizadores chineses a convidá-la para estar na final do Miss Mundo – um formalismo necessário para obter um visto. Como não lhe disseram nada, apanhou um avião para Hong-Kong e tencionava seguir noutro para Sanya, na ilha de Hainan, onde o concurso vai decorrer. Mas ainda em Hong-Kong recebeu um telefonema dos responsáveis chineses a dizer que não lhe iam dar o visto.

As autoridades explicaram depois que a China tem todo o prazer em receber as entidades convidadas para eventos internacionais, desde que não se trate de alguém que seja persona non grata. Lin não é a primeira a sofrer esse tipo de discriminação. Ao longo dos anos, vários artistas internacionais e outras personalidades têm sido impedidos de entrar em território chinês, na maioria dos casos por terem aparecido ao lado do Dalai Lama ou apoiado a causa do Tibete.