Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Fumar canábis danifica o cérebro

  • 333

ALFREDO ESTRELLA / AFP / Getty Images

Droga provoca alterações na estrutura que conecta os dois hemisférios cerebrais. O estudo foi publicado esta sexta-feira e os autores alertam para os perigos da liberalização do consumo

Está provado: fumar canábis tem efeitos muito nocivos no cérebro. Um estudo publicado esta sexta-feira, por investigadores do King's College de Londres e pela Universidade Sapienza de Roma, revela que o consumo desta substância "altera uma parte do cérebro responsável pela comunicação entre os dois hemisférios".

Os investigadores, entre eles o português Tiago Reis Marques, concluem agora que o já conhecido aumento do risco de psicose associado ao consumo continuado de canábis pode ser explicado pelas alterações no funcionamento e na estrutura do cérebro. "Basicamente, mostramos que a canábis provoca alterações cerebrais, especificamente no corpo caloso, ou seja, na estrutura que conecta o hemisfério direito ao esquerdo", explica ao Expresso o investigador português do King's College.

Tiago Reis Marques acrescenta que, "de uma forma mais específica, mostramos que quem fuma canábis de alta potência tem maiores alterações naquela estrutura e isto é importante, porque nos últimos anos tem-se vindo a assistir a um aumento significativo da potência da canábis". E dá um exemplo: "Fazendo um paralelismo com o álcool, é como se antes a canábis tivesse uma potência semelhante a uma cerveja e agora é igual a uma bebida branca." Quanto maior for o consumo, maior é o risco.

Para os autores, os resultados agora obtidos são importantes face "ao aumento no consumo de canábis e no consumo de algumas variedades de alta potência". Mas não só. Tiago Reis Marques sublinha que é também um alerta face à "progressiva alteração da perceção de que a canábis se trata de uma droga inofensiva, o que a liberalização do consumo em países como os EUA tem vindo a favorecer".