Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Vocalista dos Eagles of Death Metal: “Uma criança só escapou porque se escondeu debaixo do meu casaco”

Captura de ecrã

Visivelmente emocionado, Jesse Hughes recorda que muitas pessoas morreram no Bataclan porque não queriam abandonar os amigos, colocando-se à frente dos outros

Uma semana depois dos ataques em Paris, Jesse Hughes - o vocalista dos Eagles of Death Metal - quebrou o silêncio sobre a noite traumática no Bataclan, onde morreram 89 pessoas, quando a banda norte-americana estava a dar um espectáculo.

“Várias pessoas esconderam-se no nosso camarim. Os assassinos conseguiram entrar e mataram toda a gente, exceto um miúdo que se escondeu debaixo do meu casaco”, disse Jesse Hughes em entrevista à “Vice”.

Num tom emocionado, o vocalista recordou o ambiente de medo vivido naqueles minutos sangrentos que pareceram uma eternidade e onde muitas pessoas perderam familiares e amigos.

“As pessoas estavam muita assustadas. O principal motivo porque várias pessoas morreram foi porque não queriam deixar os amigos para trás. Muitas pessoas colocaram-se à frente de outras”, explicou.

Todos os elementos da banda conseguiram fugir pela porta dos fundos da sala de espectáculos, exceto o manager Nick Alexander que se encontrava junto do palco e que foi abatido pelos terroristas. Também dois funcionários da editora Universal morreram nos ataques.

A banda norte-americana resolveu cancelar a digressão pela Europa, na sequência do ataque.

Para além dos U2, outras bandas como Foo Fighters, Motörhead e Defton desistiram de atuar em Paris face ao sucedido.