Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Grande debate no Porto sobre descolonização e pós-colonialismo

  • 333

Rui Ochôa

Faculdade de Letras do Porto inicia esta quarta-feira colóquio de três dias com 100 comunicações e a presença de prestigiados investigadores nacionais e estrangeiros

É, segundo a organização, o maior evento alguma vez realizado em Portugal sobre a temática da descolonização e o pós-colonialismo. Intitula-se “Da descolonização ao Pós-Colonialismo; perspetivas pluridisciplinares” e começa esta quarta-feira, às 14h30, no anfiteatro nobre da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, para terminar apenas na próxima sexta-feira.

A inciativa conta, entre outros, com a presença de destacados investigadores, como Leon Tikly (Universidade de Bristol), cuja comunicação se intitula “Challenges for education in a globalised wordl”, ou Juan Carlos Gimeno Martin (Universidad Autónoma de Madrid), com uma conferência intitulada “Ustedes saben escuchar? El pueblo saharaui en su lucha por la autodeterminación”, para lá de Margarida Calafate Ribeiro, que encerrará o congresso com uma intervenção sobre “Tempos de fim: descolonização, herança e negação”.

Discussão multidisciplinar

Como diz Manuel Loff, da comissão organizadora, o congresso está aberto a uma discussão multidisciplinar “sobre diferentes processos económicos e políticos de descolonização”, os fluxos democgráficos migratórios e recomposição social em contestos de conflito anti-colonial e de descolonização formal. Serão ainda abordadas as relações Norte-Sul através de uma avaliação crítica de programas de cooperação e respetivas doutrinas de desenvolvimento. Destaque ainda para os usos coloniais e pós-coloniais do passado, com as memórias e representações dos conflitos e das transições e o cruzamento das temáticas sobre descolonização, literatura e culturas.

As mesas-redondas, começam esta quarta-feira, às 15h. Ao longo dos três dias serão abordados temas como a Exposição Colonial Portuguesa; os usos africanistas/colonialistas da educação histórica em Espanha e Marrocos; o anticolonialismo nas organizações de luta armada portuguesa; o Hamas e o processo de descolonização Palestino; discursos sobre colonialismo e pós-colonialismo em Educação Global; arquiteturas coloniais, os planos urbanísticos e a representação da história imperial portuguesa; o “retorno” e os “retornados”; cinemas do sul e descolonização do pensamento; descolonização da educação; o espetro do colonialismo e as políticas da esqeurda em Portugal;a estratégia defendida pelo PCP para a independência das colónias africanas nas páginas do Avante! e nas comunicações oficiais do partido; ou o problema colonial no pensamento de António Sérgio.

Envolveu-se durante vários meses na organização deste colóquio uma numerosa equipa de docentes de várias universidades portuguesas e estrangeiras e de investigadores do Centro de Investigação e Intervenção Educativa da Universidade do Porto, do Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa, e do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra.