Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Objeto desconhecido irá cair na Terra... a uma sexta-feira 13

  • 333

Esta sexta-feira, um objeto desconhecido vai cair no oceano Índico, embora para os cientistas possa ser apenas um pedaço de lixo espacial

Um objeto desconhecido vai cair na Terra na próxima sexta-feira, no oceano Índico (perto do Sri Lanka), admitindo os cientistas que se trate de um pedaço de lixo espacial.

Diversas publicações da especialidade estão a noticiar a queda do objeto, batizado com o nome WT1190F. A revista "Nature" escreve que a queda do objeto, que não deve de ter mais de dois metros, é uma oportunidade para os cientistas não só estudarem a passagem do objeto pela atmosfera como testar os planos dos astrónomos para coordenar esforços se alguma vez cair um objeto potencialmente perigoso.

O objeto foi descoberto pelo Catalina Sky Survey, um programa na Universidade do Arizona (Estados Unidos) destinado a descobrir asteroides e cometas que passem perto da Terra. Diz a revista que os cientistas conseguiram calcular a trajetória do objeto e descobrir que vai cair às 6h20 (7h20 em Lisboa) de dia 13, a 65 quilómetros a sul do Sri Lanka.

Jonathan McDowell, astrofísico do Centro Harvard-Smithsonian de Astrofísica, Cambridge (Massachusetts), citado pela "Nature", diz que se trata de um objeto com um a dois metros e que a trajetória indica que tem baixa densidade, pelo que deve de ser oco.

Isso sugere um objeto artificial, "um pedaço perdido da história espacial", disse o responsável, admitindo que se trate de um pedaço de foguete ou de painéis de uma missão à Lua, se calhar de há décadas, até mesmo da missão Apollo (o programa da NASA que levou o Homem à Lua no final da década de 1960).

Os cientistas dizem que deverá haver muito mais lixo espacial na órbita da Terra, algo que Rui Agostinho, astrónomo, considera normal e inofensivo. Questionado pela Lusa, o especialista do Observatório Astronómico de Lisboa considera que o mais provável é que o WT1190F se desfaça na atmosfera, porque é o que acontece a quase todos os objetos, salvo os habitáculos, porque foram concebidos para resistir ao atrito.

"Tudo o que é restos de satélites, peças, é robusto mas não aguenta o aquecimento na reentrada na atmosfera", pelo que é desnecessário ter medo, "tanto mais que vai cair no mar", diz, explicando que é ínfima a probabilidade de alguma vez a queda na Terra de algum lixo espacial provocar danos humanos.

Rui Agostinho explica que todo o lixo espacial que orbita a Terra acabará por reentrar na atmosfera e desfazer-se. É que objetos em órbitas baixas (400 quilómetros) sentem ainda assim alguma fricção atmosférica (ainda que 99,9% dessa pressão esteja até 50 quilómetros).

O que acontece, acrescenta, é que esses objetos são continuamente travados por essa "microatmosfera" e por isso perdem velocidade e aproximam-se do planeta, onde o número de moléculas aumenta e acelera a travagem e por isso a queda.

Rui Agostinho diz que preocupante seria a queda de uma estação espacial, mas mesmo assim a entrada na atmosfera, e por conseguinte o local da queda, seria controlada.

Apesar da tranquilidade científica, a queda no planeta de um objeto desconhecido a uma sexta-feira 13 está a permitir várias leituras. Imprensa especializada e generalista tem destacado o facto de se tratar de um "objeto misterioso".

Mas há também a teoria de que esse objeto nada tem de misterioso, é uma cápsula de outro planeta que se dirige a um portal ou a uma base extraterrestre que existe no mar, perto do Sri Lanka.