Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Chef português quer criar restaurante de luxo com 'crowdfunding'

  • 333

Nuno Mendes é um chef português radicado em Londres, reconhecido mundialmente. A grande novidade é que quer o seu próximo restaurante de luxo seja financiado por comensais e anónimos.

É português. É um reputado chefe em Londres. Já ganhou uma estrela Michelin. Atualmente, aos 42 anos, Nuno Mendes é chefe do restaurante Chiltern Firehouse, um hotel de cinco estrelas com restaurante, num antigo quartel de bombeiros remodelado, onde Bono ou Kate Moss podem ser vistos com regularidade. Mas a razão pela qual é notícia é porque quer angariar 2,47 milhões de euros através da plataforma Seedrs, de “crowdfunding”, para criar o seu próximo restaurante de luxo, nas margens do rio Tamisa.

O mais interessante é a intenção por trás do ato: "Podíamos ter recorrido a grandes investidores financeiros, mas quero fazer isto de forma democrática", garante Nuno Mendes, que diz adorar a ideia de que "qualquer pessoa que tenha ido ao Viajante, gostado da Taberna do Mercado ou do Firehouse tenha uma chance de participar".

Estes são alguns dos restaurantes de Mendes desde que abriu o seu primeiro espaço na capital inglesa: o Bacchus, em 2006. Servia pratos como "queixada de porco em azeite aromatizado com canela, servido com lagostins, alho francês e puré de água de rosas". Em 2010, abriu o seu restaurante mais icónico, o Viajante - e com ele ganhou a estrela Michelin, um ano mais tarde. Em 2014, embarcou no projeto Chiltern Firehouse de Andre Balazs, hoteleiro de sucesso. Nuno Mendes permanecerá neste espaço, aliás, como chefe-executivo - mesmo depois de abrir o seu novo espaço, no final de 2016. Entretanto, abriu a Taberna do Mercado, no início de 2015, com enfoque na gastronomia portuguesa.

Este novo Viajante deverá ser construído em Metropolitan Wharf, uma zona ribeirinha "in" na parte oriental de Londres, e está pensado para 65 comensais, que poderão desfrutar de um amplo terraço e chegar ao restaurante de barco. Por uma contribuição mínima de 14 euros, o chefe português quer dar a todos a hipótese de fazerem parte de um restaurante de topo, a nível mundial. "Será um restaurante por si só, onde nos vamos concentrar na ementa e não nos preocuparmos com o hotel", explica. "A Taberna fez-me olhar para as minhas raízes em Portugal. Encontrei muitas ideias lá, assim como bons produtos. O Viajante vai ser muito pessoal", promete.

Nuno Mendes não é um novato na restauração. Nascido em Arroios, Lisboa, em 1973, cresceu alfacinha mas nunca trabalhou cá. Nos anos 90, formou-se na Academia Culinária da Califórnia (EUA), trabalhou no El Bulli de Adriá e no Jean Georges de Nova Iorque, e com chefes reputados como Wolfgang Puck, Rocco di Spirito e Jean-Georges Vongerichten.

Já em Londres, foi pioneiro no conceito de abrir a sua casa ao público em geral. No The Loft Project, em Shoreditch, ele e outros chefes cozinhavam em frente aos hóspedes, numa experiência intimista e diferente. Não é a primeira vez que o “crowdfunding” financia restaurantes ou filmes com orçamentos ambiciosos. Será este o caso? Aguardemos.