Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Alerta da Organização Mundial de Saúde. Bacon e salsichas aumentam risco de cancro

  • 333

Scott Barbour / Getty Images

São as conclusões de um grande estudo europeu, já contestadas pelas indústrias afetadas

Luís M. Faria

Jornalista

A Organização Mundial de Saúde diz que o consumo de alimentos processados, em especial bacon, salsichas e fiambres, aumenta o risco de cancro. O anúncio resulta de um estudo feito em dez países europeus e que abrangeu 448.568 indivíduos. Além do cancro, o consumo intenso desses alimentos – que ficaram classificados no chamado grupo 1 de carcinogénicos - também está fortemente associado a doenças cardíacas.

Há muito que se falava da ligação entre os alimentos fumados e o cancro do cólon. Há anos, surgiram notícias sobre as taxas mais elevadas dessa doença nas zonas do nosso país, onde o consumo de enchidos é mais elevado. O que faz o estudo agora divulgado, elaborado pelo World Cancer Research Fund, um departamento de investigação autónomo, é confirmar o fenómeno e pô-lo em números.

Ficamos então a saber, por exemplo, que comer diariamente 50 gramas de bacon (menos de duas fatias) aumenta em 18% o risco de cancro no cólon, e que os consumidores mais frequentes de alimentos processados têm uma probabilidade 44% mais alta de morrer prematuramente do que os consumidores menos frequentes.

O consumo de carne vermelha também está associado ao cancro, mas a um nível de risco inferior. Ficou classificado no grupo 2A, como “provavelmente carcinogénico para humanos”.

Os estudiosos dizem que um consumo baixo de carne vermelha pode ser benéfico, dados os nutrientes que contém. Mas para as indústrias afetadas essa ressalva não basta. Uma vez mais, representantes foram ouvidos a contestar as conclusões, alegando que a obesidade é o verdadeiro risco alimentar, e que é injusto pôr as salsichas e o bacon a par com o tabaco e o álcool como agentes carcinogénicos.

Também há quem diga que o problema está no sal e na gordura. Em termos gerais, mantêm-se as recomendações para comer mais peixe, grãos integrais, legumes e frutas.