Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Vida de Luaty Beirão à beira “do não retorno”

  • 333

d.r.

O luso-angolano, que está em greve de fome há 32 dias, revelou que o médico lhe disse esta quinta-feira que “está na fronteira entre estabilidade aparente e o ponto de não retorno”

Luaty Beirão disse esta quinta-feira que foi avisado pelo médico de que a sua vida “está a entrar no ponto de não retorno”. A afirmação foi confirmada ao Expresso pelo amigo de infância a quem o músico, que está em greve de fome, descreveu o seu estado. De tarde, a mesma informação foi partilhada na página pessoal do Facebook de Luaty Beirão.

Segundo o relato do amigo de infância, o aviso foi feito pelo médico que acompanha Luaty Beirão na visita de rotina desta quinta-feira.

O músico luso-angolano de 33 anos fez chegar as palavras do médico também à sua página no Facebook, que está a ser gerida pelos seus familiares. "Posso sair daqui e assim que fechar a porta atrás de mim, entrares em crise de falência de algum órgão", foram as palavras que o médico, segundo Luaty, utilizou para caracterizar o seu critico estado de saúde.

Pedro Coquenão, músico e mentor do projeto Batida, que está em Luanda há duas semanas a acompanhar de perto Luaty Beirão, avançou ao Expresso que, apesar do quadro traçado pelo clínico, "a greve de fome mantém-se". E nem o pedido que os restantes 14 jovens ativistas angolanos detidos fizeram chegar a Luaty, através do ativista Rafael Marques, para terminar a greve de fome porque “precisam dele vivo” para “continuarem a luta”, o demoveu.

Pedro Coquenão afirma que o seu compatriota se tem emocionado com "as cartas, mensagens, declarações de apoio" que têm chegado todos os dias à Clínica Girassol, onde o rapper e ativista se encontra.

Apesar de Luaty Beirão ter solicitado a sua transferência para junto dos seus 14 companheiros, que estão detidos no hospital-prisão de São Paulo, tudo leva a crer que o seu pedido não será atendido, tendo em conta o agravamento da sua saúde.