Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

O futuro... é já hoje

  • 333

d.r

A data ficcional que o segundo filme da trilogia “Regresso ao Futuro” visitava em 2015 chegou ao nosso calendário real. Há filmes publicitários, um documentário, uma edição em DVD e novos livros a assinalar a sua chegada

E 21 de outubro de 2015… Parecia distante… O suficiente para que, em 1989, quando o segundo filme da série “Regresso ao Futuro” chegou às salas de cinema, a data impressionasse ao ponto de fazer o espectador sentir que estava a olhar bem à frente do seu tempo, imaginando mesmo assim um calendário ao alcance da sua esperança de vida. E tal como Marty McFly (interpretado por Michael J. Fox) se via ali casado e envelhecido, com um filho a viver os dias de juventude, também quem estivesse sentado numa sala escura, acompanhando aquela incursão no século XXI da máquina do tempo na forma de um Delorean, dava por si a pensar: como será?...

Robert Zemeckis mostrava-nos então um futuro com data certa. 21 de outubro de 2015. É já esta quarta-feira... Porém, vale a pena lembrar que a ficção científica é tudo menos uma arte divinatória. E o mundo que o filme ali imaginou não corresponde exatamente ao que encontrámos quando o relógio atingiu a meia-noite desta quarta-feira.

d.r.

E como era esse futuro a que, entretanto, pelo ritmo habitual do relógio, chegámos? Era um futuro no qual os mais jovens usavam sapatos com atacadores automáticos e casacos que, num instante, não apenas se ajustavam ao tamanho do corpo de quem os veste (uma vitória do pronto-a-vestir sobre anos e anos de opções entre o S, o M e o L) mas que, caso seja também preciso, têm já incorporado um secador automático, solução para deixar enxuto quem passa por uma chuvada ou, acidentalmente, tropeça e cai num lago. A moda masculina prevê ainda gravatas duplas...

Os skates deixaram de ter rodas e, tal como os carros, agora voam, o que faz com que os semáforos já não estejam a pouca altura do chão, mas mais acima, onde o trânsito agora se faz.

O jornalismo conta agora com uns repórteres robotizados que podem sobrevoar o local onde a notícia acontece e as imagens chegam a todo o lado, logo naquele instante, em direto.

Em casa é possível ter, numa única parede, ecrãs de televisão que transmitem vários canais em simultâneo. Num contraponto mais tranquilo há imagens paradisíacas no lugar das janelas, que deixam assim de mostrar a casa do vizinho da frente.

Uma refeição em família pode chegar numa embalagem do tamanho da palma de uma mão. E para a preparar basta ter uma máquina, não muito diferente de um microondas, que em poucos segundos pode hidratar uma pizza. Num piscar de olho ao tempo de quem estava na sala a ver o filme, as imagens mostram ainda um café nostálgico que usa uma imagem de Michael Jackson como funcionário. E como música ambiente servem-se doses de nostalgia dos anos 80 (aqui, convenhamos, Zemeckis não ficou longe da realidade). Como exemplo da publicidade do futuro, há um gigantesco holograma que apresenta uma sequela de um franchise que vinha já dos anos 70... O filme “Jaws 19”...

Os autores da trilogia não autorizam novas sequelas nem remakes

Os autores da trilogia não autorizam novas sequelas nem remakes

d.r.

A sequência vivida a 21 de outubro de 2015 é fulcral no desenvolvimento narrativo de “Regresso ao Futuro”. Depois de uma viagem a 1955 no primeiro filme (de que este ano se assinalou os 30 anos sobre a sua estreia), nesta sequela Marty avança até 2015 acompanhado pelo inventor Doc Brown (Christopher Lloyd), mais a namorada Jennifer (Claudia Wells) e o cão Einstein, para tentar reparar um incidente familiar descoberto ao ler um jornal do dia seguinte. O vilão, atento, apercebe-se do sucedido e, ao ver um almanaque no chão, regressa ao passado para colocar nas suas próprias mãos a chave para vencer todos os concursos de apostas desportivas e, assim, fazer fortuna...

Durante anos convencionou-se chamar ao dia 21 de outubro de 2015 o “dia do futuro”. E, já que os autores da trilogia não autorizam novas sequelas nem remakes, hoje não faltam, pelo mundo fora, modos de o assinalar.

A Mercedes usou memórias da máquina do tempo criada por Doc para criar um novo filme publicitário.

A Toyota juntou os atores Christopher Lloyd e Michael J. Fox para discutirem o que se tornou realidade no futuro que então imaginaram. Veja o resultado.

Houve até quem imaginasse um trailer para “Jaws 19”, como pode verificar.

E, para anunciar uma nova edição em Blu-Ray, Christopher Lloyd retomou o papel de Doc num breve spot.

Há salas de cinema a recordar esta quarta-feira o filme “Regresso ao Futuro 2”. E algumas a assinalar a estreia do documentário “Back in Time”, que recorda a criação de todo este universo.

Além da nova edição em Blu-Ray, há um novo livro a chegar esta semana às lojas. Trata-se de “Back to the Future: The Ultimate Visual History”, um volume ilustrado com autoria de Michael Klastorin e Randal Atamaniuk. Já este verão foi publicado “We Don’t Need Roads: The Making of the Back to the Future Trilogy”, de Caesan Gaines. Esta quarta-feira é lançada uma série de comics (em quatro partes) com o título “Back to the Future”, assinada por Bob Gale e John Barber.

Pela frente temos ainda a criação de um espetáculo musical, que contará com a colaboração do próprio Robert Zemeckis na produção e que será baseado na música que Alan Silvestri criou para os três filmes. Pensado para ser apresentado este ano em Londres, teve entretanto a estreia adiada para 2016. Para já, essa é realidade a projetar num outro futuro...