Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

João Araújo: segunda-feira “será um novo momento” para a defesa de Sócrates

  • 333

O ex-primeiro-ministro, José Sócrates, na companhia do advogado, João Araújo

João Relvas / Lusa

“A partir de segunda-feira será um momento novo”, disse esta sexta-feira à noite João Araújo, em entrevista à TVI, referindo-se ao dia em que vão ser entregues à defesa cópias digitais dos autos de todos os arguidos no processo da Operação Marquês. O advogado de José Sócrates assegurou ainda que não teme o que possa encontrar.

“Desde primeiro momento que nós [advogados] e o engenheiro José Sócrates estamos à espera de saber porque o prenderam. Estamos fartos, mas não cansados, de esperar por esse momento. E esse momento acontece na segunda-feira.”

O advogado tem a certeza que quando o processo lhe chegar às mãos não vai encontrar nada: “Só vou encontrar qualificações. Não há factos, porque se houvesse já sabíamos. Há apenas uma suspeita fabricada”. João Araújo encontra apenas uma razão para a prisão do antigo primeiro-ministro: “Certamente a esperança de encontrar factos”.

Esta sexta-feira, José Sócrates foi libertado, ficando a aguardar acusação com proibição de sair do país e de falar com os outros arguidos da Operação Marquês. “Dizem que sim, que vão fazer a acusação para a semana ou para não sei quando. Eu tenho dúvidas”, diz João Araújo.

Para o advogado, o Ministério Público tem pela frente “um problema sério”: conseguir “justificar através de uma acusação, que não pode ser leviana”, a prisão do antigo primeiro-ministro.

O advogado salientou ainda que a liberdade de Sócrates não se deve nem ao “senhor procurador” nem ao “senhor juiz”, mas sim a um acórdão do Tribunal. “O que se está a tentar fazer passar é que foi numa reapreciação da prisão preventiva que chegaram a esta conclusão. É uma ideia absolutamente falsa.”

Apesar da liberdade de Sócrates, o advogado não vê vitória. “Neste processo só há derrotas e o primeiro derrotado é o Estado de Direito”. Agora o há a fazer é “tentar reduzir as avarias” causadas.