Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Estes hotéis estão a ajudar a salvar o planeta

  • 333

Natureza. Espaço do hotel Rio do Prado

d.r.

Para um mundo melhor, cada pessoa tem um papel a desempenhar. E cada hotel também. Em Portugal, cada vez mais unidades hoteleiras trabalham em nome do conforto, mas também da sustentabilidade ambiental

Fernando Brandão

Nem todos os hotéis são iguais. Uns são mais verdes do que outros, contribuindo para um mundo melhor graças a pequenos (grandes) detalhes que fazem toda a diferença. Tendo como ponto de partida o Indicador de Sustentabilidade Ambiental (nota máxima: 5), criado em exclusivo para o guia Boa Cama Boa Mesa pela Sociedade Ponto Verde, conheça oito unidades hoteleiras onde as práticas ambientais sustentáveis se deitam à mesa com os hóspedes e a pegada ecológica se alia ao conforto, ao bem-estar e até ao requinte e à elegância. A propósito do Greenfest, que hoje começa no Estoril, saiba quais os hotéis que ajudam a fazer da Terra um planeta melhor.

SUGESTÕES

Vila Vita Parc Hotel (Índice de Sustentabilidade/SPV: 4,8)

Ganhou o Prémio Sustentabilidade – Sociedade Ponto Verde, atribuído pela primeira vez em 2015 pelo guia Boa Cama Boa Mesa. Tem no turismo sustentável uma das suas linhas de orientação, integrando-se de forma perfeita no ambiente envolvente, respeitando as arribas e a praia onde está inserido. É um hotel que se destaca graças às medidas de controlo e redução dos consumos energéticos e de água, utilizando um processo inovador de captação e tratamento de água do mar. Por osmose inversa consegue utilizar esta água para rega dos jardins. Estabeleceram igualmente parcerias com artesãos locais, a quem adquiriram lençóis de linho de fabrico artesanal, toalhas de casa de banho e cerâmica artesanal. Os produtos orgânicos utilizados na gastronomia chegam de uma herdade no Alentejo. Preços desde €210.
Rua Anneliese Pohl, Alporchinhos, Lagoa. Tel. 282 310 100.

MH Peniche (Índice de Sustentabilidade/SPV: 4.3)

As pedras que pavimentam o chão exterior deste hotel vieram das ruínas do Hotel Praia Norte, destruído para dar lugar a este ecológico MH Peniche. Dá, este aproveitamento, o mote para a consciência ambiental e pela vontade de deixar uma pegada ecológica menor, sem sacrificar a qualidade ou o conforto. Para produzir um terço da energia necessária ao funcionamento do hotel foram colocados, numa área com 5000 metros quadrados, que é como quem diz no espaço de um campo de futebol, 720 painéis fotovoltaicos, para aproveitar a luz solar. Há mais 100 painéis solares para aquecer a água e ainda um sistema de aproveitamento que coloca as águas das banheiras na rede dos autoclismos e no sistema de rega dos jardins. Tem 120 quartos e preços desde €99.
Av. Monsenhor Bastos, Peniche. Tel. 262 780 500

Rio do Prado (Índice de Sustentabilidade/SPV: 4.0)

A sustentabilidade é o grande conceito deste hotel, premiado com Chave de Platina, pelo guia Boa Cama Boa Mesa, em 2013. Toda a unidade, espalhada por um manto verde e virada para o pôr-do-sol foi pensada para conseguir a máxima eficiência energética. Há painéis solares que aquecem as águas, há uma ETAR própria que aproveita as águas dos chuveiros e as reutiliza nos autoclismos e na rega, e há espécies nos lagos que se situam entre os quartos que se encarregam de fazer um equilíbrio natural, cumprindo os desígnios da cadeia alimentar. A decoração foi produzida com sobras da obra inicial e com madeiras recicladas de caixas de fruta do pomar, que integra a área do hotel. Da horta biológica saem os produtos cultivados, sem fertilizantes, para as mesas do restaurante da unidade. Para uma maior eficiência, pequenos tablets fornecem, em tempo real, o consumo de cada hóspede, contribuindo para uma menor pegada ecológica e para uma diminuição do preço dos quartos, que começam em €160.
Rua das Poças, Arelho, Óbidos. Tel. 262 959 623

Inspira Santa Marta (Índice de Sustentabilidade/SPV: 4.4)

Todo o hotel foi pensado, ainda no papel, para ser amigo do ambiente. E todos os dias a equipa pensa em novas formas de reduzir a pegada ecológica inerente à entrada e saída de hóspedes e da localização bem no centro de Lisboa. Várias vezes premiado, tem uma preocupação constante com as descargas e com os desperdícios de materiais perigosos, fazendo detalhados relatórios para um menor impacto ambiental. A energia utilizada provém a 100% de fontes renováveis, a iluminação é LED e de baixo consumo energético, há sensores de movimento e vidros duplos em todos os quartos. Todos os alojamentos apresentam chão de cortiça, o que reduz o consumo de energia devido às características técnicas do material, e não há água engarrafada em todo o edifício. A que é servida é filtrada a partir da rede de abastecimento. Tem 89 quartos e preços desde €164.
Rua de Santa Marta, 48, Lisboa. Tel. 210 440 900

Moinhos da Tia Antoninha (Índice de Sustentabilidade/SPV: 4.5)

São pequenas casas, ao fundo de uma estrada de terra batida, no meio de um prado verde e ao lado de uma ribeira, em pleno convívio com a natureza. A piscina de águas frias serve-se da corrente da ribeira e há algas que, de forma natural, filtram a água, tornando-a própria para mergulhos retemperantes. Os Moinhos da Tia Antoninha são completamente autónomos do ponto de vista energético, uma vez que um sistema híbrido solar e hídrico garantem toda a energia necessária para o seu normal funcionamento. Os cabos usados para fornecer energia foram enterrados, para menor impacto visual e proteção do meio ambiente. Tem um campo fotovoltaico e uma microturbina hídrica que garantem a subsistência energética das sete casas, com preços a partir de €55.
Lugar do Cabeço de Lebrais, Leomil. Tel. 254 588 095

Vale do Rio Hotel Rural (Índice de Sustentabilidade/SPV: 4.1)

Fica num parque natural, nas margens do Caima e, até pela localização, facilmente se entende ser este um local de equilíbrio ecológico. Tudo foi pensado para usar a natureza em proveito próprio, sem nunca a prejudicar ou alterar. Tem uma mini-hídrica datada de 1800, que foi inteligentemente recuperada para se construir um hotel rural que se tornou autossuficiente em termos energéticos, ao aproveitar as energias hídrica, solar, fotovoltaica, da biomassa e biodiesel. A unidade tem 28 quartos (€90) e até na decoração se inspirou nos quatro elementos da Natureza: a Terra, associada à fauna e à flora da região, o Ar, representando o ambiente puro e natural do local, a Água, alusiva ao rio Caima, e o Fogo, aliado ao sol e às energias.
Avenida Soares de Basto, 4346, Palmaz. Tel. 256 990 000

Corinthia Hotel Lisbon (Índice de Sustentabilidade/SPV: 3.6)

O projeto de eficiência energética implementado no Corinthia Hotel Lisbon, e que já valeu prémios à unidade hoteleira, foi pensado para reduzir o consumo energético em 22%. O troféu Western Europe Region - Energy Project of the Year atribuído pela Association of Energy Engineers, premiou a intenção de conseguir uma poupança real na fatura da energia, o aumento da autonomia energética e o impulsionar da política de responsabilidade ambiental. Para sensibilizar os clientes dos ganhos e incentivar a uma estada mais ecológica, o hotel informa regularmente os hóspedes dos benefícios alcançados e da poupança real conseguida com a aplicação destas medidas. Tem 518 quartos (€120) e uma vista privilegiada para a mata de Monsanto, o pulmão da cidade de Lisboa.
Avenida Columbano Bordalo Pinheiro, 105, Lisboa. Tel. 217 236 363

H2otel Congress & Medical Spa (Índice de Sustentabilidade/SPV: 4.8)

Apesar de ter transformado a paisagem, integra-se na perfeição nos socalcos da serra da estrela, com uma vista deslumbrante sobre o Glaciar da Alforta. As linhas ondulantes parecem acompanhar a silhueta da montanha e o vidro reflete as cores das estações, além de proporcionar uma maior eficiência energética. Apesar de ser um hotel de montanha, não significa que seja um hotel de inverno ou para desportos de neve. É um hotel de bem-estar para os 365 dias do ano, devido às piscinas interiores hidrodinâmicas de água quente, que incluem uma passagem pelo exterior. Com preços desde €90, são o primeiro “Bike Friendly Hotel” nacional, fomentando a utilização da bicicleta e a sustentabilidade ecológica.
Avenida das Termas, Unhais da Serra. Tel. 275 970 020

PROPOSTAS

Indicador de Sustentabilidade Ambiental. O que é?

Pela primeira vez, o guia Boa Cama Boa Mesa atribuiu, em 2015, o Prémio Sustentabilidade – Sociedade Ponto Verde. A escolha dos vencedores teve por base o Indicador de Sustentabilidade Ambiental, desenvolvido em exclusivo pela Sociedade Ponto Verde (SPV) e teve como objetivo reconhecer os restaurantes e hotéis nacionais que, através do consumo racional de água, da poupança de energia, da gestão de resíduos, entre outras medidas, promovem, no exercício da sua atividade, práticas ambientais sustentáveis.

Este índice inovador é calculado através da realização de um questionário individualizado dirigido aos restaurantes e hotéis, o qual, para além de instrumento de avaliação, se revela também como forte instrumento de sensibilização pelas questões que aborda, despertando nos destinatários a responsabilidade ambiental que a todos cabe. Reforço das boas práticas ambientais, poupança de recursos, fomento de rotinas e procedimentos, entre outras, são algumas das melhorias visíveis. Muitas destas ações acabam por ter impacto na redução dos custos operacionais da atividade.

A partir das respostas obtidas, e após auditorias independentes, a Sociedade Ponto Verde atribuiu, pela primeira vez, um prémio aos estabelecimentos que se distinguiram pelas suas práticas ambientais na hotelaria e na restauração. As novidades deste índice para 2015 revelam a contínua preocupação da Sociedade Ponto Verde em sensibilizar o setor da hotelaria e da restauração para o impacto ambiental das suas atividades. Em 2015 foi dada uma especial atenção à integração do setor com a economia local, ao desperdício alimentar e, naturalmente, à separação dos resíduos.

Greenfest: o poder “verde” nas mãos do povo

A sustentabilidade da Saúde e a primeira feira internacional de Organizações Não Governamentais (ONG), que vai juntar 120 destas entidades, de seis países, são as principais novidades da edição número 8 da Greenfest, que se realiza entre esta quinta-feira, dia 8, e o próximo domingo, dia 11, no Estoril. À semelhança das anteriores edições, no Greenfest deste ano estarão representados os três pilares da sustentabilidade - ambiental, social e económica -, sob o tema da cidadania ativa. Durante os quatro dias de Greenfest haverá uma chamada de atenção para o crescente aumento da diabetes tipo 2, realizando-se no local rastreios graças a um protocolo com a Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal, de modo a chamar a atenção para o levantamento de perfis de risco bem como para o impacto económico, social e ambiental do problema. Sob o slogan “temos o poder de agir, de fazer a diferença, de ajudar, de sorrir, de mudar os comportamentos e de ajudar o mudar o mundo”, o Greenfest espera bater recordes de afluência. Depois dos 25 mil visitantes da edição de 2014, são esperados por estes dias mais de dois mil alunos e professores de todos os graus de ensino, bem como uma participação massiva de famílias, que poderão usufruir de conteúdos dirigidos a todos os grupos etários. Outra das novidades é a criação de cenários com materiais usados, ou seja com “lixo” não convencional recolhido para o Greenfest pelos serviços da Câmara Municipal de Cascais, de forma a incentivar e a fomentar a reutilização.

Boa Cama Boa Mesa na SIC Notícias: à descoberta de Viseu

Redescubra a zona de Viseu, encontre praças onde a História se mistura com a arte, descanse num hotel de charme, e surpreenda-se com a genialidade da nova cozinha que se faz na região. Queime calorias de bicicleta ou a pé, mergulhando numa das mais vibrantes paisagens do centro do país. Esta semana passe pelo Museu Nacional Grão Vasco, em Viseu, e descubra o espólio artístico que se esconde entre quatro paredes. Passe ainda pela ala da faiança portuguesa e demoradamente pela sala Columbano Bordalo Pinheiro. Ganhe apetite para se deixar tentar pela gastronomia praticada no moderno restaurante Mesa de Lemos, vencedor do prémio Revelação do Guia Boa Cama Boa Mesa 2015. A criatividade de Diogo Rocha está patente em cada prato que chega à mesa, afirmando-o como um dos chefes a seguir com atenção na restauração nacional. Percorra devagar, contemplando a paisagem no caminho que o levará até à Casa da Ínsua, em Penalva do Castelo. Num antigo solar, construído no século XVIII por Luís de Albuquerque, nasceu um hotel surpreendente que se modernizou sem nunca renegar a história do edifício. Passeie pelos pomares e pelos jardins da quinta, onde as compotas e o azeite também são de produção local, antes de se atrever numa prova de vinhos . Termine a viagem em duas rodas. Alugue uma bicicleta e passeie pela Ecopista do Dão, que aproveita a antiga linha ferroviária entre Viseu e Santa Comba Dão, desativada em 1988. Pare nas estações e recupere forças. Vai precisar, se pretender percorrer a Ecopista até ao fim. É a maior de Portugal, com 49 quilómetros de extensão