Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Japonês e canadiano ganham Nobel da Física. “Houve um momento eureka nesta experiência”

  • 333

Kyodo / Reuters e CJ Gunther/ EPA

Takaaki Kajita e Arthur B. McDonald acabam de ser anunciados em Estocolmo como os vencedores do prémio Nobel da Física deste ano

Takaaki Kajita e Arthur McDonald são os vencedores do prémio Nobel da Física de 2015. A dupla de cientistas conseguiu provar que os neutrinos, partículas que se deslocam através do universo a uma velocidade próxima da luz, têm massa e conseguem mudar de identidade.

O júri do prémio atribuído pela Academia Real de Ciência da Suécia justifica a escolha declarando que a descoberta “mudou o entendimento das mais profundas formas de funcionamento da matéria e pode ser crucial para a perspetiva que temos do universo”.

O japonês Takaaki Kajita, de 56 anos, dirige o Instituto de Investigação do Raio Cósmico e dá aulas na Universidade de Tóquio. Já o seu parceiro do Canadá, Arthur B. McDonald, de 72 anos, é professor na Universidade de Queens em Kingston, no Canadá. Os dois vão dividir um prémio total de oito milhões de coroas suecas (cerca de 858.207 euros), que receberão na cerimónia de entrega, dia 10 de dezembro.

Kajita já reagiu à notícia, confirmando que “houve um momento eureka nesta experiência, quando conseguimos perceber que os neutrinos mudam de forma quando viajam do Sol para a Terra”. Os neutrinos são partículas que se deslocam através do Universo a uma velocidade próxima da luz e que são criadas em reações nucleares, como as que se passam no Sol e nas estrelas. A existência destas partículas começou a prever-se na década de 1930, mas durante décadas permaneceu um mistério. No meio científico são ainda hoje consideradas particularmente enigmáticas.

Os próximos prémios Nobel a anunciar são os da Química (quarta-feira), Literatura (quinta-feira), Paz (sexta-feira) e Economia (segunda-feira).

[Texto atualizado às 12h05]