Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Ouro, prata, bronze: trabalhos multimédia e impressos do Expresso distinguidos em prémios de design da Península Ibérica

  • 333

Os prémios ÑH12 premeiam o que de melhor se faz em design nos jornais impressos e online de Portugal e Espanha. O site do Expresso foi distinguido, tal como dois trabalhos multimédias e diversos trabalhos publicados em papel

“Edwin, o rapaz que aprendeu a sonhar” à esquerda, “Matar e Morrer por Alá: Cinco Portugueses no Estado Islâmico” à direita: trabalhos multimédia do Expresso premiados na Península Ibérica

“Edwin, o rapaz que aprendeu a sonhar” à esquerda, “Matar e Morrer por Alá: Cinco Portugueses no Estado Islâmico” à direita: trabalhos multimédia do Expresso premiados na Península Ibérica

Chupar as pedras era uma forma de ele enganar a fome. A sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. Os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, depois no Estoril. Esta história, intitulada “Edwin, o rapaz que aprendeu a sonhar” e que pode ver AQUI, acaba de ser distinguida nos prémios ÑH12, que foram criados para incentivar e distinguir o jornalismo visual em Portugal e Espanha. A história de Edwin, contada num suporte multimédia montado propositadamente para a reportagem, venceu o ouro nas categorias “grafismo para especiais” (a par de um trabalho do “El País” e do ara.cat), “melhor cobertura multimédia” e “melhor vídeo” (a par de “Um dia normal”, do “Público”).

Uma outra reportagem multimédia do Expresso, que conta a história de cinco jiadistas portugueses - mostrando quem são e como foram convertidos e radicalizados -, também foi distinguida. “Matar e Morrer por Alá: Cinco Portugueses no Estado Islâmico”, que pode ver AQUI, foi distinguida com a medalha de prata na categoria “grafismo para especiais” e com a de bronze em “melhor cobertura multimédia” (a par de um trabalho do “El País”).

O novo site do Expresso, lançado em maio, também foi distinguido. Venceu o bronze na categoria “desenho responsivo” (que premeia a capacidade de um site ajustar-se aos diversos dispositivos em que é consultado - smartphone, tablet, desktop).

Vários trabalhos do Expresso publicados em papel também foram distinguidos pelo júri:

Semanário Expresso

Atualidade Imediata
Prata “Sócrates assumiu que recebia dinheiro do amigo”
Prata “Crónica dos tres dias de brasa que abalaram Paris”
Bronze “As 7 razões para Sócrates continuar preso até ao verão”

Ilustração (peças soltas)
Ouro “Belém tenta placagem à direita” Cristiano Sampaio
Bronze
“O que eu sofri para investir aquí” Helder Oliveira

REVISTA E

Páginas interiores (reportagens)
Prata “O fabuloso destino da PT”
Bronze “Eu desejo-te…”

Page Break (cobertura informativa)
Prata “E depois disto tudo?”

O júri esteve reunido entre os dias 30 de setembro e 2 de outubro na Faculdade de Comunicação de Navarra, em Espanha, para avaliar os trabalhos que se apresentaram a concurso. Na categoria das edições digitais foram avaliados 315 trabalhos, mais do que na anterior edição destes prémios. No total, entre meios impressos e digitais, concorreram a estes prémios 62 publicações ibéricas, incluindo 12 portuguesas. Além do Expresso, o “Público”, o “i”, o “Jornal de Notícias”, a “Voz das Misericórdias” e o “Região de Leiria” são as outras publicações portuguesas premiadas. O “Público” venceu o prémio de jornal mais bem desenhado da Península Ibérica.

  • Edwin, o rapaz que aprendeu a sonhar (reportagem multimédia premiada na Península Ibérica)

    Chupar as pedras era uma forma de ele enganar a fome. A sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. Os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, depois no Estoril. Esta é uma reportagem multimédia do Expresso que acaba de ser premiada com três medalhas de ouro (melhor grafismo para especiais, melhor vídeo e melhor cobertura multimédia) nos prémios ÑH12 (distinguem os trabalhos jornalísticos com melhor design da Península Ibérica) e que agora republicamos. Veja e sonhe. Como o Edwin

  • Matar e Morrer por Alá: Cinco Portugueses no Estado Islâmico (reportagem multimédia premiada na Península Ibérica)

    O Expresso seguiu as pisadas de cinco jiadistas portugueses, mostrando quem são e como foram convertidos e radicalizados. E como lutam, como foram morrer - e como já haverá arrependidos com medo de fugir. Esta é uma reportagem multimédia do Expresso que venceu o Prémio Cáceres Monteiro 2014 e que acaba de ser premiada com uma medalha de prata (melhor gráfico para especiais) e uma de bronze (melhor cobertura multimédia) nos prémios ÑH12 (distinguem os trabalhos jornalísticos com melhor design da Península Ibérica) e que agora republicamos