Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Roubado um dos quadros de exposição nas ruas de Lisboa

  • 333

A reprodução de um quadro pintado no século XVI que estava exposta na fachada de um edifício em Lisboa desapareceu esta quinta-feira

Helena Bento

Jornalista

Um dos quadros que foram expostos nas fachadas de edifícios em Lisboa, no âmbito da exposição "Coming Out", promovida pelo Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), foi roubado esta quinta-feira. Trata-se da reprodução do quadro "Inferno", pintado no século XVI por um pintor português desconhecido, e que estava exposta na Rua da Rosa.

António Filipe Pimentel, direitor do MNAA, disse à Lusa que o desaparecimento da reprodução deste quadro "não é uma surpresa". "Esta situação era previsível e também aconteceu em Londres, onde foi lançada uma iniciativa semelhante", disse Filipe Pimentel, acrescentando que "não deixa de ser curioso e até cómico que tenha desaparecido o quadro do 'Inferno' nas primeiras 48 horas da inauguração da mostra".

O diretor do MNAA disse ainda que o museu está a ponderar se vai ou não substituir a obra. Por enquanto, não foram adotadas quaisquer medidas especiais de segurança. "Acreditamos que as pessoas vão acolher bem e estimar as obras expostas", referiu

Segundo a Lusa, que cita fonte do museu, a obra roubada "não tem qualquer valor patrimonial, comercial ou material". A agência de notícias refere ainda que nestes dois dias de mostra houve uma tentativa de retirar a reprodução de "Salomé com a cabeça de São João Batista", pintado por Lucas Cranach, o Velho, em 1510-1515.

A exposição "ComingOut. E se o Museu saísse à rua?" reúne 31 reproduções de obras do acervo do Museu Nacional de Arte Antiga. Estão expostas em ruas do Chiado, Bairro Alto e Príncipe Real desde o dia 29 de setembro, e por ali deverão ficar até 1 de janeiro de 2016. A iniciativa foi inspirada numa exposição que a National Gallery organizou nas ruas de Londres há seis anos.

"Retrato do Rei D. Sebastião", pintado em 1571 por Cristóvão de Morais, "Senhora das Dores", de Quentin Metsys, de 1511, e "Virgem com o menino e santos", de Hans Holbein, o Velho, pintado em 1519, são algumas das reproduções que integram a exposição.