Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Mau tempo já fez estragos no Porto

  • 333

Fonte do Comando Distrital de Operação de Socorros do Porto refere a ocorrência de inundações na Trofa, Amarante e Matosinhos, bem como a queda de árvores

O Comando Distrital de Operação de Socorros (CDOS) do Porto registou 13 ocorrências no distrito, decorrentes do mau tempo que afeta a região desde as 9h desta manhã, mas nenhum dos incidentes provocou danos graves.

Em declarações à agência Lusa, fonte do CDOS do Porto adianta que as ocorrências começaram cerca das 9h desta terça-feira e que houve inundações na Trofa, Amarante e Matosinhos e algumas quedas de árvores, “mas nada de significativo”.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto e Vila Real sob aviso vermelho, o mais grave de uma escala de quatro, devido à previsão de chuva forte e persistente e à possibilidade de ocorrência de fenómenos extremos de vento.
O aviso vermelho está em vigor desde o meio-dia e termina às 23h59 desta terça-feira.

O IPMA colocou também em aviso laranja os distritos de Bragança, Viseu, Castelo Branco, Coimbra, Aveiro e Guarda devido à possibilidade de chuva e vento com rajadas da ordem dos 120 km/h nas terras altas, entre as 18h de hoje e as 6h desta quarta-feira.

O distrito de Leiria está sob aviso amarelo, o terceiro mais grave na escala, devido à previsão de chuva, vento forte com rajadas da ordem dos 70 km/h, que podem atingir os 90 km/h nas terras altas, e agitação marítima, prevendo-se ondas com quatro a cinco.

O aviso para Leiria está em vigor desde as 9h e termina às 18h de quarta-feira.

Também os distritos de Lisboa e Setúbal estão com aviso amarelo devido à previsão de agitação marítima forte, com ondas de sudoeste com quatro a cinco metros entre as 3h e as 18h desta quarta-feira.

De acordo com um comunicado do IPMA, o agravamento das condições para os próximos dias, especialmente para terça-feira, deve-se à passagem de uma depressão com origem no ex-ciclone tropical Henri, centrada esta terça-feira a norte dos Açores.

A depressão irá aproximar-se da Corunha, em Espanha, na próxima madrugada, em direção do Golfo da Biscaia. Os seus efeitos irão prolongar-se até ao fim de quarta-feira e traduzem-se por precipitação forte e vento intenso nas regiões a norte do Mondego, diz-se no comunicado do IPMA.

As regiões do Minho, Douro e Beira Litoral na tarde e na noite desta terça-feira vão ser as mais atingidas pela precipitação, que pode ultrapassar os 100 mililitros em 24 horas.

O vento forte tem-se feito sentir no litoral deste esta manhã e deve prolongar-se até ao fim da manhã de quarta-feira. A região sul será menos afetada mas no norte as rajadas serão na ordem dos 90 km/h a norte do rio Mondego, com rajadas superiores a 110 km/h nas terras altas.


Com base nestas previsões, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) alertou esta segunda-feira para “!um agravamento excepcional” das condições meteorológicas no norte e centro nos próximos três dias e chama a atenção para efeitos como formação de lençóis de água nas estradas, cheias rápidas em meio urbano, inundações, danos em estruturas montadas ou suspensas e “galgamento costeiro”.

A ANPC recomenda também a desobstrução de sistemas de escoamento de águas, cuidados na condução, nomeadamente evitando zonas inundadas e arborizadas e a orla costeira, e a fixação de estruturas soltas, como andaimes.