Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Caravana portuguesa vai levar comida e roupa a refugiados na Hungria

  • 333

ATTILA KISBENEDEK

Aylan Kurdi Caravan. O nome é simbólico, feito em homenagem à criança morta numa praia que correu o mundo e alertou consciências. Em nome dele, e de muitos mais, um grupo de portugueses vai viajar até à Hungria para ajudar os refugiados que chegam aquele país.

Ajudar os refugiados que estão a chegar à Hungria. É esta a única missão da caravana portuguesa que se prepara para, no fim da próxima semana, ir até aquele país levar roupa, comida, brinquedos, produtos de higiene pessoal e vários bens de primeira necessidade às famílias que chegam ao país e são "maltratadas" pelas autoridades. "Não conseguimos ficar indiferentes às imagens que vemos", diz ao Expresso João Vasconcelos, um dos organizadores do movimento e presidente da Start Up Lisboa.

A inciativa nasceu de forma espontânea, depois de um grupo de amigos se aperceber que seria difícil ajudar os refugiados na Hungria diretamente através de Lisboa. "Não se trata de discutir o número de refugiados que Portugal vai receber, isso está a ser tratado a nível europeu entre os Estados", frisa João Vascocelos.

Aylan Kurdi Caravan, que deverá contar com 10 carrinhas, está a ter adesão nas redes sociais e tem uma página no Facebook na qual se poderão consultar, no final do dia, os locais onde se podem fazer doações. A questão logística do transporte, as carrinhas e o combustível, está a ser suportada por empresas privadas. Faltam, neste momento, voluntários, para conduzir as carrinhas, o melhor seria contar por três condutores por veículo, e se algum deles falar húngaro melhor ainda. E também para recolher os bens doados a nível nacional. A caravana está em contato com organizações no terreno e vai entregar a roupa, comida e brinquedos aos refugiados e não às entidades húngaras.

A data de saída, para já, é dia 18, próxima sexta-feira. A partir de segunda feira, os bens começarão a ser recolhidos e concentrados em três armazéns, no Porto, Leiria e Lisboa.