Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Prisão preventiva para suspeito de homicídio de ex-jogador da União de Leiria

  • 333

O crime ocorreu no dia 30 de agosto, em São Romão, tendo o alegado homicida disparado cinco tiros, colocando-se depois em fuga

O homem suspeito de ter matado um ex-jogador da União de Leiria e que foi detido em Espanha quando se preparava para viajar para o Brasil vai aguardar julgamento em prisão preventiva, disse esta sexta-feira fonte judicial.

Fonte da Comarca de Leiria, onde foi ouvido o arguido em primeiro interrogatório judicial, referiu à agência Lusa que o juiz de instrução criminal determinou ao arguido a prisão preventiva, a medida de coação mais gravosa.

O crime ocorreu no dia 30 de agosto, em São Romão, Leiria, tendo, além da vítima mortal, originado um ferido. O alegado homicida, que terá disparado cinco tiros, colocou-se depois em fuga.

No dia seguinte, fonte do Departamento de Investigação Criminal de Leiria da Polícia Judiciária (PJ) explicou que o ferido ligeiro "não resultou de nenhuma intervenção do presumível homicida". "Era acompanhante do autor, chegou no mesmo veículo e foi retido no local por populares que o terão agredido, tendo sido hospitalizado.".

A 4 de setembro, a PJ anunciou a detenção em Madrid do presumível homicida quando este se preparava para viajar para o Brasil.

Em comunicado emitido nesse dia, a PJ informou que, "em articulação com a Unidade Nacional Contra Terrorismo, desenvolveu a investigação que culminou com a detenção de um homem, com 25 anos, sem ocupação laboral, fortemente indiciado pela prática de crime de homicídio, na forma consumada".

O suspeito foi localizado e detido "no aeroporto de Barajas, em Madrid, quando se preparava para embarcar, num avião, com destino ao Rio de Janeiro, no Brasil".

Segundo a PJ, a "detenção concretizou-se em cumprimento de mandado de detenção europeu emitido pela autoridade judiciária competente do Ministério Público na comarca de Leiria", tendo a operação contado com a "colaboração da Polícia Nacional de Espanha, Polícia Federal do Brasil e Comando Distrital de Leiria da PSP".

A vítima mortal, Raul João Oliveira, formou-se nas camadas jovens da União de Leiria, onde subiu a sénior e jogou dois anos pelos seniores, na antiga II divisão (atual II Liga). O defesa-central passou ainda por clubes como o Pedras Rubras, Fátima, Portomosense, Sport Clube Leiria e Marrazes e Atlético Clube Marinhense.