Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Refugiados. Como é que cada um de nós pode ajudar?

  • 333

EDVARD MOLNAR/ EPA

Não basta olhar e lamentar a morte dos milhares de refugiados que tentam chegar à Europa. É preciso fazer algo. E cada um de nós pode fazer a diferença. Saiba como

A fotografia chocou. Esta quinta-feira, fez capa em dezenas de jornais de todo o mundo. O menino sírio que morreu no Mediterrâneo é o símbolo do desespero e da luta dos milhares de refugiados que todos os dias chegam à Europa para fugir da guerra civil na Síria. Todos nós vimos, mas chorar ou partilhar a imagem nas redes sociais não chega, não resolve o problema dos milhares de refugiados . Não podemos salvar os que morrem no caminho, mas podemos ajudar os que cá chegam. Como?

Doações

UNICEF
“Com 7€ por mês pode fornecer 264 saquetas de PlumpyNut, um alimento terapêutica especial para crianças gravemente mal nutridas”.

A doação pode ser feita online, na página do Fundo das Nações Unidas para a Infância. Podem ainda fazê-lo por multibanco, através do NIB: 0033 0000 0000 3196 2082 8 ou do IBAN: PT50 0033 0000 0000 3196 2082 8.

Caso prefira fazer o donativo por cheque, deverá fazê-lo para a seguinte morada: Comité Português para a UNICEF, Av. António Augusto Aguiar, 21 -3E, 1069-115 Lisboa.

ACNUR e CPR
“Com 20 dólares [ cerca de €18] pode providenciar a duas famílias tapetes sintéticos para evitar que durmam diretamente no chão”.

A Agência das Nações Unidas para os Refugiados disponibiliza na sua página uma aplicação para donativos monetário. Estão fixos valores de 5, 10 e 20 dólares. No entanto, se desejar contribuir com uma quantia maior ou menor também o poderá fazer.

O Conselho Português para os Refugiados está associado a esta ação.

Serviço Jesuítas para os Refugiados
“O seu contributo tem um forte impacto na vida dos migrantes que acolhemos e orientamos. Apoie-nos na concretização dos nossos projetos, participe na construção de um mundo melhor”.

A organização internacional da Igreja Católica possibilita três formas de fazer o donativos: transferência bancária ( NIB - 0036 0071 99100093831 32), cheque via correio ou pessoalmente (Rua Rogério de Moura, Lote 59, Alto do Lumiar, 1750-342 Lisboa).

Aylan Kurdi Fund
O fundo criado esta quinta-feira é uma singela homenagem ao menino sírio que morreu afogado. “Crianças como o Aylan e o irmão são, por demasiadas vezes, desiludidas pela humanidade”, lê-se na página.

A angariação funciona através da plataforma Just Giving e pode selecionar o valor que desejar. Até à hora da publicação deste artigo já tinham sido recolhidos quase seis mil euros.

Save The Children
“A Europa está a atravessar a pior crise de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial. As crianças estão a sofrer e precisam da nossa ajuda”.

Esta organização não governamental com sede no Reino Unido também está a recolher donativos. Poderá contribuir na página ou por telefone: 0800 8148 148

Acolhimento/integração/ voluntariado

CPR
O Conselho Português para os Refugiados aceita ajuda de pessoas que estejam disponíveis para acolher famílias sírias em sua casa.

Além de um teto, a CPR também está sempre disponível para aceitar voluntários. A instituição tem dois centros de acolhimento: um na Bobadela e outro, exclusivo para crianças, em Lisboa.

A partir da próxima sexta-feira, a CPR vai apresentar a Plataforma de Apoio aos Refugiados (PAR), que pretende juntar várias organizações para criar as condições essenciais para os refugiados serem recebido em Portugal.

Para entrar em contacto, poderá fazê-lo pelo e-mail: geral@cpr.pt

ACNUR
A Agência das Nações Unidas para os Refugiados aceita voluntários e estagiários. No primeiro caso, encontrará mais informação aqui. Relativamente aos estágios, que têm a duração de seis meses, pode apresentar a sua candidatura aqui.

Outras

Amazon
A Amazon disponibiliza uma lista de produtos que podem ser adquiridos online por qualquer pessoa. Depois, as compras são enviada a 17 de Setembro para Calais e para a Grécia.

Estão à venda enlatados, estojos de primeiros socorros, dicionários de inglês, tendas, lanternas, entre outros.

Facebook
Na rede social foram criados nos útlimos dias uma série de grupos, comunidades e páginas de apoio aos refugiados sírios. Em muitos casos, o objetivo é a partilha de informação, mas também há quem esteja a desenvolver projetos de apoio:

Acolhimento a refugiados - os portugueses podem ajudar

Queremos Portugal a acolher refugiados!

Refugees Welcome to Portugal