Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Garantiu um lugar na universidade em 15 minutos. Singularidade: tem 9 anos

  • 333

Se tudo correr como o potencial de Carlos faz prever, acabará licenciado antes de chegar ao 9º ano. Sim: tem de frequentar o ensino normal em simultâneo com a experiência universitária

Mesmo para quem começou a ler aos três anos, chegar à universidade aos 9 é um feito. Que esteve ao alcance de Carlos Santamaría Díaz, porque cedo se percebeu que as suas capacidades não se ajustavam ao percurso letivo tradicional, tendo os pais optado por fazê-lo saltar etapas e seguir um percurso de ensino - em tudo - alternativo.

Atualmente, Carlos é um dos mais aplicados estudantes da Universidade Nacional Autónoma do México (UNAM), onde todos os dias, das cinco às nove da tarde, assiste às aulas do curso de bioquímica e energia molecular na Faculdade de Química.

Citados pelo jornal “El Pais”, os pais não gostam de usar a palavra “génio”. Constatam apenas aquilo de que se foram apercebendo: a facilidade para aprender e tirar boas notas, mesmo que adormecesse na escola primária, a ânsia em saber sempre mais sobre quase tudo e a evidência de que aos cinco anos já um livro de ciências do ensino secundário lhe era perfeitamente acessível.

Carlos limita-se a recordar que nenhuma matéria lhe custava muito, mas nenhuma lhe agradava por aí além. “Aborreciam-me muito”, confessa.

Os pais procuraram então encontrar um caminho onde o filho se adaptasse melhor. Não foi fácil. No México reconheciam a sua memória extraordinária, mas colocavam reservas à sua real capacidade de entender os assuntos sobre os quais falava.

A família rumou a Espanha, à procura de uma solução. Que não encontraram, ainda que se tenham cruzado com uma professora de química diretora de um laboratório em Alboraya que aceitou receber Carlos uma hora por semana, para lhe ensinar temas científicos avançados que o rapaz adorava.

Encorajados por esta professora, voltaram ao México e decidiram tentar a sorte na UNAM. Quinze minutos de entrevista bastaram para que Carlos fosse aceite na universidade.
Curioso é que para continuar o seu percurso como estudante universitário, Carlos Santamaría terá de prosseguir os estudos no nível de ensino a que corresponde à sua idade. A solução foi encontrada através de um programa espanhol que lhe permitirá fazer o 4º ano, realizando exercícios trimestrais e fazendo um exame final junto da embaixada.espanhola.

Se tudo correr como o seu potencial faz prever, isso significa que acabará licenciado antes de chegar ao 9º ano.