Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

SATA. Avião sujeito a reparação. Passageiros retidos em Toronto viajam esta madrugada

  • 333

O avião com destino a Ponta Delgada regressou ao Canadá após ter sido detetado fumo vindo da cabine. O voo de reposição está programado para as 01h30

A SATA revelou hoje que os 192 passageiros que estão retidos em Toronto, Canadá, devido a uma avaria num avião da companhia aérea viajam na próxima madrugada para Ponta Delgada, nos Açores, num "voo de reposição".

"Depois da análise da anomalia técnica, a aeronave já está ser reparada, estando o voo de reposição programado para se realizar à 01:30 - hora de Toronto [06:30 em Lisboa] - do dia 19 de agosto", informou a companhia aérea dos Açores, num comunicado.

Um voo da SATA Internacional com destino a Ponta Delgada regressou na segunda-feira a Toronto logo após a descolagem, na sequência de uma avaria no avião.

Alguns passageiros disseram à agência Lusa que o avião regressou a Toronto após ter sido detetado fumo vindo da cabine e que as equipas de emergência estavam junto à aeronave após a aterragem.

Em declarações hoje à Lusa, uma fonte da companhia disse que o avião não efetuou qualquer aterragem de emergência.

"O avião teve uma avaria técnica e, por razões de segurança, regressou ao aeroporto. Não foi declarada nenhuma aterragem de emergência", explicou a mesma fonte, que acrescentou que os passageiros foram contactados pela empresa e alojados em hotéis.

Num comunicado, a empresa explicou, entretanto, que após descolagem, "surgiu um problema técnico que afetou o sistema de pressurização da aeronave CS-TKN" e "por questões de segurança, o comandante do voo decidiu regressar a Toronto, seguindo a política de segurança da companhia, tendo a aproximação e aterragem em Toronto decorrido em condições normais".

Alguns passageiros contaram à Lusa que o avião descolou à hora normal (21:45 de Toronto, 02:45 de Lisboa) e cerca de dez minutos após a descolagem, foram informados pelo piloto de que teriam de aterrar novamente devido a um problema elétrico.

Segundo relatos de testemunhas, o avião regressou a Toronto numa altura em que se podia sentir um "cheiro a queimado".