Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Número de candidatos à universidade já ultrapassa o de 2014

  • 333

Uma das explicações para o aumento deste ano tem a ver com a subida dos resultados nos exames nacionais, pelo menos entre alguns dos mais concorridos e que servem de prova de ingresso para muitos cursos superiores

David Clifford

O período de candidaturas à 1ª fase do concurso de acesso ao ensino superior público só termina na sexta-feira, mas o número já ultrapassa os 42.500 inscritos, mais do que o total registado no ano passado

Depois de anos a descer, o número de candidatos às universidades e politécnicos públicos parece retomar uma trajetória ascendente e irá subir pelo segundo ano consecutivo.

A 1ª fase do concurso nacional de acesso só termina sexta-feira, mas os dados preliminares da Direção-Geral do Ensino Superior já o permitem confirmar: até esta terça-feira, 42.519 jovens tinham apresentado a sua candidatura. Em 2014, os números finais do concurso tinham ficado pelos 42.455

Apesar da evolução, os valores estão longe do recorde atingido em 2008 (53 mil candidatos na 1ª fase), ano a partir do qual as candidaturas começaram a cair, até chegarem a pouco mais de 40 mil no concurso de 2013.

Uma das explicações para o aumento deste ano tem a ver com a subida dos resultados nos exames nacionais, pelo menos entre alguns dos mais concorridos e que servem de prova de ingresso para muitos cursos superiores.

Foi o que aconteceu com Matemática A e Matemática Aplicada às Ciências Sociais, cujas médias na 1ª fase subiram, respetivamente, 2,8 valores e 2,3 valores face a 2014.

Também a Física e Química houve bastantes mais alunos a alcançar a fasquia dos 9,5 valores, o mínimo exigido nos exames que servem de provas de ingresso. Neste caso, a subida não foi tão espetacular, mas foi o suficiente para fazer a diferença, passando de 9,2 valores para 9,9. A Português, o mais concorrido dos exames, o desempenho dos alunos do 12º praticamente manteve-se.

A exceção foi a Biologia e Geologia, com um verdadeiro desaire na 1ª fase e uma queda abrupta até aos 8,9 valores. Só que esta terça-feira foram conhecidos os resultados da 2ª fase e muitos dos que estavam impedidos de usar este exame terão conseguido recuperar, já que a média voltou à positiva (10,5 valores).

Em geral, as médias na 2ª fase também foram superiores às da mesma fase de 2014, pelo que a segunda etapa do concurso deverá ver igualmente o número de interessados aumentar. A 2ª fase do concurso inicia-se a 7 de setembro, dia em que serão conhecidas as colocações relativas à 1ª fase, que agora está a terminar.