Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Lotaria sérvia. O estranho caso da bola 21

  • 333

Corrupção ou coincidência? A divulgação de um número da combinação vencedora da lotaria nacional, momentos antes de este ter saído da tômbola, deu origem a um caso policial na Sérvia

Na Sérvia, a trivial transmissão de um sorteio, em direto, da lotaria nacional, deu origem à maior das confusões. A divulgação no ecrã de um número da combinação vencedora, antes mesmo de a bola sair da tômbola, acabou por levantar suspeitas quanto à legalidade do concurso, com direito a pelo menos uma demissão, uma conferência de imprensa do primeiro-ministro e à abertura de uma investigação policial.

Os responsáveis pela lotaria alegam ter-se tratado de “pura coicidência”. Certo é que, depois de a quarta bola ter saído, com o número 27, em rodapé foi incrito o número 21, que se manteve. E quando rola a bola seguinte... aparece precisamente o 21.

A transmissão aconteceu na noite de terça-feira e desde então não se fala de outra coisa. Ainda que mantenha não ter existido qualquer irregularidade, o diretor da lotaria - cargo tradicionalmente ocupado por nomeação política - demitiu-se. A decisão de Aleksandar Vulovic foi justificada por “motivos éticos”.

Também o primeiro-ministro sérvio se viu forçado a reagir à polémica, convocando uma conferência de imprensa. “Se estiver em causa qualquer tipo de ilícito, os reponsáveis terão de responder perante a justiça. O caminho para a prisão é muito curto”, disse Aleksandar Vucic, citado pelo “The Guardian”.

Resta esperar pela conclusão da investigação, entretanto aberta e no âmbito da qual a polícia já interrogou seis pessoas.

Estaria pré-definida a combinação vencedora? Enquanto a resposta definitiva à questão não pode ser dada, a “culpa” sobrou para o encarregado de inserir os números no gráfico televisivo, a quem um dos responsáveis pelo sorteio atribui o “erro”. E ficam para a posteridade as imagens de uma extração duvidosa, com a visível atrapalhação da apresentadora perante o (des)acerto.

Erros diferentes, mas que também deram que falar, aconteceram em Portugal. Um deles em 1996, durante a extração do Totoloto apresentada na RTP, quando foi sorteada a bola 0 como número suplementar, e que não consta dos boletins.

Em 2012, desta vez num sorteio do Euromilhões, na TVI, a apresentadora foi enumerando as bolas e estrelas certas, mas no ecrã surgiu a combinação de uma semana anterior.