Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Há menos 265 vagas no ensino superior do que em 2014

  • 333

Marcos Borga

Engenharias, saúde e ciências empresariais continuam a ser as áreas de formação com maior oferta. Candidaturas para a 1ª fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior arrancam já na segunda-feira

Para o próximo ano letivo (2015-2016), existem 50.555 vagas para os candidatos ao ensino superior na 1ª fase do concurso nacional, de acordo com os dados hoje divulgados pelo Ministério da Educação e Ciência (MEC). Destas, 55,9% dizem respeito ao ensino universitário e 44,1% ao ensino politécnico.

O MEC cortou 265 vagas em relação a 2014-2015, ano em que foram a concurso 50.820. Uma redução que vem reforçar a tendência decrescente que tem vindo a verificar-se desde 2011, para o qual abriram 53.500 lugares - ou seja, nos últimos quatro anos houve uma quebra de quase três mil vagas.

Tal como em 2014, os cursos na área das engenharias concentram a grande maioria das vagas (cerca de 9.037, o que representa 17,7% do total de lugares a concurso), seguindo-se as ciências empresariais (15%) e a saúde (13%). No entanto, ao contrário das duas últimas áreas de formação (que têm verificado uma diminuição do número de vagas desde 2013), as engenharias têm registado um aumento desde 2012, ano em que abriram 8.931 lugares.

Cerca de 800 cursos, do total de 1.048 disponibilizados, mantêm o mesmo número de vagas estabelecidas no ano passado. Assim, cursos como o de Direito e Medicina da Universidade de Lisboa são dois dos que oferecem mais vagas em 2015 (480 para Direiro e 295 para Medicina), com médias de entrada dos últimos colocados nos 136,8 e 175,2, respetivamente. Medicina continua a ser, aliás, um dos que apresenta médias mais altas, que oscilam entre 172,5 (Universidade da Beira Interior) e 182,7 (Universidade do Porto).

Entre as áreas de estudo com menos lugares disponíveis a nível nacional encontram-se serviços de segurança (60), serviços de transporte (83), matemática e estatística (461) e ciências veterinárias (507).

Para além das vagas fixadas para concurso nacional, existem ainda 616 (menos 30 que em 2014) para candidaturas a cursos que, pela sua natureza, são realizadas localmente, nos quais se incluem Música, Dança, Cinema e Teatro, entre outros.

Lisboa, Porto e Coimbra continuam a ser as cidades que concentram maior número de estudantes, abrindo a porta a 15.025, 7.600 e 5.496 novos candidatos, respetivamente.

É já na próxima segunda-feira, 20 de julho, que arranca a 1ª fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior para o próximo ano letivo, cujo prazo termina a 7 de agosto. Tal como nos anos anteriores, a candidatura deverá ser realizada online, no site da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES).