Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Assassino de quatro militares nos EUA tinha um blogue pró-Jihad

  • 333

Muhammad Youssef Abdulazeez foi abatido pelas autoridades depois de matar quatro marines no interior das instalações militares de Chattanooga, no Tennessee

Hamilton County Sheriff's Office / Reuters

Chama-se Muhammad Youssef Abdulazeez, matou esta quinta-feira quatro marines no Tennessee e estaria em contacto com o Daesh através das redes sociais. O seu pai estava numa lista de suspeitos de terrorismo

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

O FBI diz ter razões para acreditar que Muhammad Youssef Abdulazeez, o autor dos disparos que esta quiunta-feira matou quatro marines no centro da marinha do Chattanooga, no Tennessee, teria contactos regulares através das redes sociais com o autodenominado Estado Islâmico (Daesh).

O atirador de 24 anos foi abatido pelas autoridades depois de matar os quatro homens no interior das instalações militares.

O SITE, um sítio da internet especializado em monitorização de jiadistas, revelou pouco depois do tiroteio que Muhammad Youssef Abdulazeez mantinha um blogue onde escrevia insistentemente sobre “assuntos sobre extremismo islâmico”. A última entrada data de há três dias.

Uma fonte do FBI revelou que “não há razão para questionar a autenticidade” dos conteúdos do blogue. Neste momento está a ser investigada a provável ligação entre o “lobo solitário” e a organização terrorista, que ainda não reivindicou o atentado.

No dia 13 de julho, de acordo com o SITE, Abdulazeez escreveu: “A vida é curta e amarga” e que se deveria dar oportunidade aos muçulmanos “para se submeterem a Alá”. No blogue acrescentou ainda: “Todos os muçulmanos devem fazer a Jihad (Guerra Santa) em nome de Alá. Todos devem sacrificar as suas vidas”.

Uma fonte policial garantiu à Associated Press que o atirador, que terá nascido no Kuweit e tirado o curso de engenharia na Universidade de Chattanooga, não estava debaixo dos radares das autoridades antes do tiroteio. Já o seu pai tinha sido investigado há alguns anos por “possíveis laços com organizações terroristas estrangeiras”, estando numa lista de suspeitos nos Estados Unidos.

No tiroteio desta quinta-feira outras três pessoas ficaram feridas, estando uma delas em estado grave. Um polícia está entre os feridos, tendo sido alvejado no tornozelo.