Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Já terminou o interrogatório a Vara. MP vai propor medidas de coação

  • 333

Armando Vara à chegada ao Tribunal de Aveiro que o condenou a cinco anos de prisão efetiva por três crimes de tráfico de influência

Paulo Novais/Lusa

Ex-governante do PS foi detido no âmbito da Operação Marquês, que resultou na prisão de José Sócrates. Já tinha sido condenado a cinco anos no âmbito de outro processo, o Face Oculta

Rui Gustavo

Rui Gustavo

Editor de Sociedade

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

O ex-ministro Armando Vara foi ouvido esta sexta-feira pelo juiz Carlos Alexandre no Tribunal Central de Instrução Criminal, em Lisboa, após ter sido detido na quinta-feira por suspeitas dos crimes de corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais. O interrogatório terminou há momentos. O Ministério Público vai agora propor as medidas de coação.

Vara está a ser investigado no âmbito da Operação Marquês sobre os negócios relativos ao empreendimento Vale do Lobo. Trata-se do mesmo processo que conduziu o antigo primeiro-ministro José Sócrates à prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Évora.

A PSP participou ativamente em buscas que decorreram quinta-feira em vários pontos do país, nomeadamente na sede da Caixa Geral de Depósitos, da qual Armando Vara foi administrador. As diligências decorreram em coordenação com o Departamento Central de Investigação Criminal (DCIC).

A PGR confirmou quinta-feira em comunicado que decorreram "buscas domiciliárias em instalações de sociedades e numa instituição bancária", levadas a cabo pelo Ministério Público, a Autoridade Tributária e PSP.

O ex-governante passou a noite no comando de Moscavide da PSP, tendo saído um pouco antes da hora de almoço de sexta-feira para ser ouvido por Carlos Alexandre.

Em setembro do ano passado, Armando Vara foi condenado a cinco anos de prisão efetiva no âmbito do processo Face Oculta por três crimes de tráfico de influências. O advogado de Vara neste caso, Tiago Rodrigues Bastos, é o mesmo que o defendeu durante o processo Face Oculta.

Campiso Rocha