Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Expresso ganha primeiro prémio de jornalismo económico

  • 333

Tiago Miranda

“A Queda de um Santo”, trabalho de Pedro Santos Guerreiro, venceu o prémio de jornalismo económico Santander / Universidade Nova de Lisboa

O Expresso ganhou esta terça-feira o primeiro prémio de jornalismo económico Santander / Universidade Nova de Lisboa. O trabalho premiado foi “A Queda de um Santo”, de Pedro Santos Guerreiro, que foi publicado na edição de 19 de julho de 2014 da Revista do Expresso, poucos dias antes da detenção de Ricardo Salgado para prestar declarações e ainda antes do processo de resolução que deu origem ao Novo Banco. Pode ler o texto vencedor AQUI.

O artigo em causa explicava a mudança de regime de poder que estava em curso, construindo a análise sobre como os investidores estrangeiros e “sem rosto” seriam os sucessores do poder antes centralizado em Ricardo Salgado e construído em órbita do Grupo Espírito Santo.

Os prémios Santander / Nova escolhem todos anos três trabalhos de jornalismo económico do ano precedente, elegendo um deles como primeiro prémio, que assim foi atribuído ao Expresso. Os outros dois vencedores são Ana Pimenteljornalista do Observador que triunfou na categoria "mercados financeiros", e Alexandra Machado e Elisabete Miranda, ambas jornalistas do "Jornal de Negócios" e distinguidas na categoria "economia sustentável".

É a segunda vez consecutiva que Pedro Santos Guerreiro vence o prémio de jornalismo económico Santander / Universidade Nova. O diretor-executivo do Expresso fez também parte da equipa que venceu este ano o Prémio Cáceres Monteiro. E conquistou o Prémio Excelência no Jornalismo Económico da Ordem dos Economistas em 2013.

  • A queda de um Santo, por Pedro Santos Guerreiro

    Ricardo Salgado acaba mal e acaba só. O grande banqueiro era afinal péssimo gestor, arruinou um grupo familiar de 145 anos e saiu expulso do BES. Mas não há vazios de poder: quem dominará agora? Quem vai ser o Dono Disto Tudo? Este texto, que acaba de ser distinguido com o prémio de jornalismo económico Santander / Universidade Nova de Lisboa e que o Expresso agora republica, propõe uma resposta