Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Acessível e menos exigente: a análise ao exame de Português do 9º ano

  • 333

Associação de Professores de Português considera que a prova realizada esta segunda-feira por perto de 100 mil alunos é menos exigente que a de 2014

As notas dos alunos do 9º no exame de Português do ano passado já tinham sido globalmente positivas, com a média nacional a subir até aos 56%, e este ano as classificações globais deverão voltar a ser "satisfatórias", acredita a Associação de Professores de Português (APP).

No parecer à prova final de Português, realizada esta segunda-feira de manhã por cerca de 100 mil alunos, a APP diz tratar-se de um teste "acessível, com menor número de solicitações do que as de anos anteriores". Por outras palavras, a associação entende que a prova de 2015 foi menos exigente e aponta as razões que o justificam.

Em relação à interpretação de um texto literário, por exemplo, o número de perguntas colocadas aos alunos foi inferior e na resposta de desenvolvimento deixou de ser exigido um limite de palavras e a abordagem de um conjunto de tópicos. Alguns alunos perdiam pontos na resposta precisamente por não cumprir o limite mínimo e máximo indicados e por não fazer referência a todos os tópicos referidos.

Outro exemplo de maior 'facilidade' indicado pela APP prende-se com o facto de no último grupo, em que é pedido aos estudantes a produção de um texto, se tenha optado por um texto narrativo e não expositivo ou argumentativo, géneros que, tradicionalmente, causam mais dificuldades.

"Apelando o tema para a naração na 1ª pessoa e sendo a proposta a de construção de um texto narrativo, a tarefa afigura-se simples", diz a APP. 

A associação considera ainda que também vai ajudar a uma boa média a abertura do Instituto de Avaliação Educativa, responsável pelos exames nacionais, para flexibilizar os critérios de classificação e não penalizar respostas que, apesar de não estarem previstas no guião para os professores corretores, estejam bem construídas e sejam aceitáveis.

Segue-se agora o exame de Matemática do 9º ano, marcado para a próxima sexta-feira. Este ano, os alunos que tiverem negativa nos exames do 9º poderão repeti-los numa 2ª chamada, em julho, tal como já acontece com os colegas do 4º e do 6º. A nota final da disciplina corresponderá, nesses casos, à classificação obtida na prova final e a nota interna não terá qualquer peso. 

  • Um milhão de provas, centenas de agentes e alguns nervos à mistura

    Arranca esta segunda-feira a primeira fase dos exames nacionais do secundário. São mais de 150 mil alunos que vão mostrar o que aprenderam. Para a maioria, é também o acesso à Universidade que está em causa. É a maior operação montada pelo Ministério da Educação. O Expresso conta-a em números