Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Caniço, Chumbinho, Xoramyngas e demais personagens que nos explicam Nuno Melo

  • 333

D.R.

"Tenho a profissão com que sempre sonhei, nunca sonhei ser outra coisa", confessou-se outrora Nuno Melo. Fez de bom e de mau, de gozado e de gozão, de inseguro e de inabalável. Tinha 55 anos - morreu esta terça-feira. Esta é uma pequena viagem pelo que nos deixou

Estreou-se na televisão com "Vila Faia", em 1982, mas a primeira personagem marcante veio na segunda novela. Em "Chuva na Areia", fez de Caniço, ladrão de praias privado da sua masculinidade - interpretação célebre. Daí em diante, entrou em muitas outras telenovelas, inclusive além-Atlântico: fez Senhora do Destino na TV Globo, em 2004.

Nuno Melo, que morreu esta terça-feira vítima de cancro, participou também em séries que fazem parte de um Portugal em transformação. Trabalhou com Herman José em Casino Royal, onde interpretou Alverca,  agente secreto do Terceiro Reich cheio de dúvidas existenciais: "Não sei, não sei... Sabe que eu sou uma pessoa que demora muito tempo a tomar as suas decisões... Eu ainda preciso de fazer uma introspecção... Olhar-me ao espelho e perguntar: quem sou? De onde venho? Para onde vou?". [espreite a partir do minuto 43 no vídeo em baixo]

Em "Alentejo Sem Lei" deu corpo a Joaquim Silva, "um rapaz honesto, sensível e suficiente inadevertido das coisas do mundo, para não o levar excessivamente a mal". [sugerimos que comece a partir dos 4m13s no vídeo em baixo]

Uma das personagens que o levou a mais público foi Alberto Chumbinho, o filho de Camilo de Oliveira na série Camilo & Filho Lda, muitas vezes destratado e gozado pelo pai. Ainda no território da comédia, entrou no programa Malucos do Riso, também na SIC. [veja a partir dos 4m45s no vídeo em baixo]

No cinema foi Antónyo Xoramyngas, o marialva do filme "A Janela (Maryalva Mix)" (2001), de Edgar Pêra, ou José Eduardo, pai de Amélia em "O Crime do Padre Amaro" (2005), de  Carlos Coelho da Silva. 

Mais recentemente, Nuno Melo foi vilão no "Barão", filme homónimo de Edgar Pêra, personagem pelo qual ganhou um Globo de Ouro em 2012. A sua última participação cinematográfica aconteceu no filme "Estrada de Palha" (2012), de Rodrigo Candeias.