Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Cadeias com ocupação de 112%

  • 333

População prisional aumentou 20,6% nos últimos cinco anos

ANA BAIÃO

Número de reclusos não para de aumentar. Há 14.272 detidos, para uma lotação de 12.591 

As prisões portuguesas estão a ‘romper pelas costuras’. O número de detidos não tem parado de aumentar nos últimos cinco anos e a atual taxa de ocupação vai já nos 112%. Onde deveriam estar 12.591 reclusos estão 14.272 (a 1 de junho).  

Dados da Direção-Geral da Política de Justiça, publicados esta terça-feira pelo “Correio da Manhã”, revelam que o número de detidos aumentou 20,6% entre 2010 e 2014: de 11.613 para 14.003. E ontem, segunda-feira, já eram 14.272. O aumento é mais visível entre a população feminina detida (34%) do que entre os homens (19,8%).  

A sobrelotação das cadeias tem consequências negativas que os profissionais do sector têm denunciado. Os maiores sindicatos dos guardas prisionais alertam os responsáveis para uma “população prisional cada vez mais numerosa, mais jovem, organizada e perigosa”, enquanto o número de guardas tem-se mantido inalterado.  

Os dados oficiais mostram ainda que a faixa etária entre os 25 e os 39 anos é dominante, com 49,6%. Entre os tipos de crimes cometidos: 27,5% foram contra o património, 24,9% contra pessoas, 19% relativos a estupefacientes, 18,7% outros crimes e 9,9% contra a vida em sociedade.  

Menos jovens internados

Quanto aos ainda mais jovens, verifica-se uma redução das situações de internamento. Nos últimos cinco anos, o número de jovens em centros educativos diminuiu de 229 para 195, menos 13,7%.