Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

PSP disponibiliza 50 mil pulseiras de localização de crianças

  • 333

No Dia Mundial da Criança, a PSP reforça esta segunda feira a campanha de segurança "Estou Aqui", através da atribuição gratuita de pulseiras eletrónicas aos pais de menores de nove anos. 

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

A PSP vai disponibilizar a partir desta segunda-feira 50 mil pulseiras eletrónicas aos familiares de crianças entre os dois e os nove anos, um sistema de monitorização contínua que permite localizar os menores no caso de se perderem.

A campanha de segurança sazonal "Estou Aqui", que nos últimos quatro anos funcionava até ao final de setembro, vai ser prolongada em 2015 até dezembro, permitindo detetar o paradeiro das crianças desaparecidas em tempo real em todo o país e no estrangeiro.

Para usufruir da pulseira que pode ajudar a salvar vidas, os pais terão de efetuar o pedido através do site www.estouaqui.mai.gov.pt e escolher a esquadra onde pretendem levantar o equipamento.

Ao contrário do que aconteceu nos anos anteriores, as pulseiras ser ativadas diretamente nas esquadras da PSP para evitar que cerca de metade das pulseiras de sinalização fiquem inativas. Segundo revelou a PSP, 10 mil dos 20 mil equipamentos acabaram por não ser ativados nos últimos dois anos.

A PSP estima que o prazo entre o pedido e o levantamento das pulseiras possa variar de uma semana a 25 dias. Cada pulseira, à prova de água, é única e tem um número de identificação que apenas poderá ser lido pela PSP através da sua base de dados. Em caso de desaparecimento do menor, os pais devem telefonar de imediato para o 112, que acionará os mecanismos de comunicação com as forças de segurança.

Em declarações ao "Diário de Notícias", Paulo Flor, porta-voz da Direção Nacional da PSP, as pulseiras não estarão disponíveis em todas as esquadras para evitar o que sucedeu nos anos anteriores, com esquadras onde as pulseiras estavam sempre esgotadas, nomeadamente nos comandos de Lisboa, Porto, Setúbal e Funchal".

Em 60 mil pulseiras distribuídas desde 2012 houve apenas dois casos de menores desaparecidos sinalizados via pulseira eletrónica. Um na Manta Rota, no Algarve, outro na Costa da Caparica. As autoridades sustentam que a utilização da pulseira induz por si só a um reforço dos cuidados de segurança por parte dos pais e das próprias crianças.

Ao todo, o serviço SOS-Criança sinalizou 42 crianças perdidas em 2014, menos 18 do que em 2013, sendo as raparigas as que mais desaparecem. 

  

 Numa parceria com o Missing Childre Europe e o Instituto de Apoio à Criança (IAC), a PSP vai entregar ainda folhetos informativos aos pais, com conselhos de como devem agir em situação de sequestro ou raptos dos filhos