Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Sete responsáveis da FIFA detidos por suspeitas de corrupção

  • 333

Pelo menos seis altos dirigentes da FIFA foram detidos em Zurique

ARND WIEGMANN/REUTERS

O Ministério da Justiça e a polícia da Suíça confirmaram esta manhã a detenção, por acusações de corrupção, de sete altos dirigentes da FIFA, em Zurique, quando se encontravam num hotel na cidade.  A lista de suspeitos é superior.

O Ministério da Justiça e a polícia da Suíça confirmaram esta quarta-feira a detenção, por acusações de corrupção, de sete altos dirigentes da FIFA, em Zurique, quando se encontravam num hotel na cidade. Mas na lista de suspeitos estarão mais oito responsáveis.

As autoridades helvéticas indicaram que se prevê a sua extradição para os Estados Unidos, onde as autoridades de Nova Iorque os investigam por terem, alegadamente, aceitado subornos, no valor de 100 milhões de dólares (92 milhões de euros), desde o início dos anos 1990. 

De acordo com a BBC, entre os detidos estão o vice-presidente e dirigente máximo da Confederação para a América Central e do Norte e Caraíbas, Jeffrey Webb, o também vice-presidente, Eugenio Figueredo, o brasileiro Jose Maria Marin, membro do comité da FIFA e o costa-riquenho Eduardo Li , que devia juntar-se ao comité executivo da FIFA. O presidente da Federação e candidato a um quinto mandato, Joseph Blatter, não está entre os detidos. 

Jack WarnerJulio Rocha, Costas Takkas, Rafael Esquivel e Nicolas Leoz são os outros nomes apanhados neste alegado esquema de corrupção. 

Os altos dirigentes da FIFA estão reunidos no luxuoso hotel Baur au Lac, onde deveria realizar-se, na próxima sexta-feira, a eleição para a presidência da organização. O príncipe jordano Ali Bin Al-Hussein, o único rival de Blatter nestas eleições após a desistência de outros candidatos, incluindo o português Luís Figo, deverá reunir-se durante o dia de hoje com os seus colaboradores para avaliar o impacto destas detenções nas eleições. 

Jornalistas presentes no local contam que as detenções passaram-se de forma pacífica, com uma dúzia de elementos das autoridades suíças a entrarem nos quartos dos dirigentes detidos esta manhã.  

Extorsão, fraude e lavagem de dinheiro estão na  lista de crimes de que são suspeitos. Mas na mira das autoridades estarão ainda outros responsáveis de empresas norte-americanas e da América do Sul , suspeitas de terem pago mais de 150 milhões de dólares em subornos e luvas em troca de acordos de direitos de transmissão e patrocínios de grandes competições.

"Estamos admirados com o facto de esta situação durar há tanto tempo e atingir praticamente tudo aquilo que a FIFA fazia", declarou um responsável das autoridades suíças, citado pela BBC. "Parece que que cada elemento da organização era permeável a estes esquemas e que era a maneira natural de trabalhar. Tudo indica que a corrupção estava generalizada" 

Apesar de, oficialmente, a FIFA não ter feito ainda nenhuma declaração, as detenções desta quarta são um sério revés para a direção encabeçada por Blatter, reconhecido como a pessoa mais poderosa no mundo do desporto. A própria FIFA, com um património financeiro de mais de 1,5 mil milhões de dólares, é mais do que uma mera organização desportiva.   

Ao longo do dia também se aguardam declarações do Departamento de Justiça norte-americano e do FBI. A possibilidade das alegadas transações ilegais terem passado por contas bancárias nos Estados Unidos levou a que a investigação fosse assumida pelas autoridades norte-americanas.