Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Eleições para a presidência da FIFA mantêm-se na sexta-feira

  • 333

Walter De Gregorio, diretor de comunicação da FIFA, durante a conferência de imprensa realizada em Zurique

ENNIO LEANZA / EPA

Presidente Blatter e o secretário-geral não estão envolvidos no processo, garante diretor de comunicações da FIFA.

O congresso da FIFA e a eleição para a presidência da organização vão decorrer como planeado na próxima sexta-feira. E nem o atual, e muito provável futuro presidente Joseph Blatter, nem o secretário-geral Jérome Valcke estão envolvidos no processo que levou à detenção, esta quarta-feira, de sete altos dirigentes da FIFA, incluindo dois vice-presidentes, por parte das autoridades suíças.

As garantias foram dadas pelo diretor de comunicação da FIFA, em conferência de imprensa, horas depois da notícia de que sete altos dirigentes tinham sido detidos em Zurique, no hotel onde estavam hospedados.

Mas na lista de suspeitos de um alegado esquema de corrupção que se arrasta desde os anos 90 há mais nomes. De dirigentes da FIFA e de pessoas ligadas a empresas relacionadas com desporto e que terão pago luvas para garantirem a a sua associação a grandes competições.

O diretor de comunicação, Walter de Gregorio, lembrou que a própria organização lançou uma investigação para apurar se as denúncias de compra de votos no processo de atribuição dos mundiais de 2018 e de 2022, à Rússia e ao Qatar, tinham algum fundo de verdade. E reforçou: "A FIFA é a parte mais lesada. Nós somos as vítimas. Colaboramos inteiramente com as autoridades suíças e isso é do nosso interesse", afirmou Walter de Gregorio.